Novo Coronavírus

Saúde Morte de gestante levou Anvisa a sugerir suspensão da vacinação 

Morte de gestante levou Anvisa a sugerir suspensão da vacinação 

Gestante e feto faleceram após uma suspeita de evento adverso grave de acidente vascular cerebral hemorrágico 

  • Saúde | Do R7

Dose de vacina da AstraZeneca/Fiocruz

Dose de vacina da AstraZeneca/Fiocruz

Fazry Ismail/EFE/EPA - 05.05.2021

A decisão da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de suspender imediatamente  a aplicação da vacina contra covid-19 da AstraZeneca/Fiocruz em gestantes foi motivada pela morte de uma grávida e do feto. Ela sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico, sob suspeita de ser um evento adverso grave do imunizante. O anúncio foi oficializado em nota publicada na tarde desta terça-feira (11) pela agência. 

Até esta tarde, segundo a nota não havia outros eventos adversos graves envolvendo gestantes que tenham sido notificados para a Anvisa. 

"Esta recomendação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas contra Covid-19 em uso no país, e também com base no princípio da precaução", diz o texto. "A medida veio após uma suspeita de evento adverso grave de acidente vascular cerebral hemorrágico ocorrido e que resultou em óbito fetal e da gestante."

A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina da AstraZeneca seja seguida pelo Ministério da Saúde. Segundo a nota, "o uso off label de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente".

A bula atual da vacina contra covid-19 da AstraZeneca não recomenda o uso da vacina por gestantes sem orientação médica.

Últimas