Coronavírus

Saúde Não vacinados têm 29 vezes mais chance de internação por covid

Não vacinados têm 29 vezes mais chance de internação por covid

Estudo do Centro de Controle de doenças dos EUA aponta, ainda, quem não foi imunizado tem 5 vezes mais chance de ser infectado  

  • Saúde | Do R7

Não vacinados têm mais 29 vezes mais chances de ser hospitalizados por covid-19

Não vacinados têm mais 29 vezes mais chances de ser hospitalizados por covid-19

José Jácome/EFE - 29.3.2021

O CDC (Centro de Controle de Doenças Infecciosas), dos Estados Unidos, divulgou, na noite da terça-feira, um estudo mostrando que as pessoas não-vacinadas têm 29 vezes mais chance de ser hospitalizado por causa da covid-19, na comparação com os imunizados. Além disso, que não se vacinou tem, ainda, cinco vezes mais probabilidade de ser infectado pelo novo coronavírus.

A pesquisa se baseou em informações de novos casos e hospitalizações no condado de Los Angeles, na Califórnia, de 1º de maio até 25 de julho, e foram analisados infectados com 16 anos ou mais. “Os dados de infecção e taxa de hospitalização indicam que as vacinas autorizadas foram protetoras contra a infecção por SARS-CoV-2 e COVID-19 grave durante um período em que a transmissão da variante Delta estava aumentando”, escreveu a agência no estudo.

Foram analisadas 43.127 infecções de residentes em Los Angeles e as hospitalizações por covid foram definidas como internações hospitalares ocorridas dentro de 14 dias após a infecção. Entre todos os residentes do condado, as taxas de hospitalização aumentaram “exponencialmente” entre as pessoas não vacinadas, totalmente vacinadas e parcialmente vacinadas, com as taxas mais altas entre as pessoas não vacinadas no final de junho, informou o CDC.

Os Estados Unidos vêm apresentando elevação na taxa de novos casos e internações devido ao avanço da variante Delta e o alto número de pessoas que são anti-vacinas no país.

Por lá, mesmo com campanhas e até oferta de 100 dólares (cerca de R$ 600) para quem se vacinar, o índice de pessoas totalmente imunizadas é de pouco mais de  51% da população norte-americana. Já com primeiras doses o índice chega a quase 61%.

O CDC informou algumas limitações nos estudos, mas a conclusão de que a vacinação contra a covid-19 protege contra a doença grave em áreas com prevalência crescente da variante SARS-CoV-2 Delta). Além disso, indicou que os esforços para aumentar a cobertura de vacinação, em coordenação com outras estratégias de prevenção, são essenciais para prevenir hospitalizações e mortes relacionadas à doença.

A vigilância contínua para caracterizar infecções pós-vacinação, hospitalizações e mortes será importante para monitorar a eficácia da vacina, principalmente após surgimento de novas variantes.

Últimas