Saúde “Não vou pedir para ir embora”, diz Pazuello sobre deixar Ministério

“Não vou pedir para ir embora”, diz Pazuello sobre deixar Ministério

Em coletiva de imprensa, ministro afirmou que o mais importante agora é o combate à covid: "essa é a missão"

  • Saúde | Do R7

Pazuello disse que não pedirá para deixar cargo

Pazuello disse que não pedirá para deixar cargo

Joédson Alves/EFE - 10.03.2021

Em coletiva de imprensa do Ministério da Saúde nesta segunda (15), o Ministro Eduardo Pazuello admitiu que pode deixar a pasta, mas disse também que não vai pedir para sair. “O ministro da saúde será substituído? Um dia, sim. Pode ser curto, médio ou longo prazo. O presidente está nessa tratativa de reorganizar o ministério. Enquanto isso não for definido, a vida segue normal. Não estou doente, não pedi para sair. E nenhum de nós está com problema algum. E nós não vamos parar um minuto. Não paramos ontem, hoje e não pararemos amanhã. Quando o presidente tomar a sua decisão, faremos uma transição correta, como manda o figurino".

Leia mais: Pazuello anuncia contrato de 138 milhões de doses da janssen e pfizer

Após sua declaração durante a coletiva, o ministro voltou ao tema ao ser perguntado pela imprensa se pediria para sair do governo. “Senhores, eu só pedi pra ir embora uma vez na vida no curso de comandos e, depois, voltei pra concluí-lo. Eu não vou pedir para ir embora, não é da minha característica”. E seguiu: “Isso não é um jogo, uma brincadeira. Isso é sério, é o país, é a pandemia, é o Ministério da Saúde. Não pedi para ir embora e nem vou pedir. Estamos trabalhando em conjunto com o governo. Se haverá substituição, cabe ao presidente, não a mim.

Durante a coletiva, Pazuello fez praticamente um balanço de sua gestão à frente do ministério, mas, ao final, fez questão de deixar claro que o evento não foi um adeus. "Isso não é uma palavra de despedida, mas quero dizer que é uma honra estar nesta posição. É muito orgulho de estarmos agora à frente desta pasta cumprindo essa missão. Não me sinto pressionado, nem por notícias erradas ou fake news. Isso não é um problema. O problema é a pandemia, óbitos, contaminados. Essa é a missão".

SUBSTITUTOS

A troca no Ministério da Saúde deve mesmo acontecer. Nesta segunda, a médica Ludhmila Hajjar, cotada para o cargo, recusou o convite feito por Bolsonaro. Ela tem visões diferentes das do presidente sobre como conduzir o combate à pandemia. O presidente da república se reuniu, também nesta segunda, com o médico Marcelo Queiroga, outro cotado para assumir o cargo de Pazuello.

Últimas