Saúde Nenhum estado tem ocupação de UTI acima de 90%, aponta Fiocruz

Nenhum estado tem ocupação de UTI acima de 90%, aponta Fiocruz

Boletim Observatório Covid-19 mostrou, também, que o país manteve tendência de queda da mortalidade pela covid-19

  • Saúde | Do R7

Boletim indica que queda das taxas de ocupação é um reflexo do avanço da vacinação no país

Boletim indica que queda das taxas de ocupação é um reflexo do avanço da vacinação no país

Pilar Olivares/Reuters - 18.06.2021

Pela primeira vez, desde dezembro, nenhum estado brasileiro apresenta taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) superior a 90%, de acordo com o Boletim Observatório Covid-19 da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), publicado nesta quarta-feira (14).

O boletim indica que apenas quatro estados apresentaram crescimento no indicador de ocupação de leitos: Rondônia, Amazonas, Pará, Tocantins e Goiás. Tendências de queda foram observadas nas regiões Nordeste, Sudeste, Sul e no Estado do Mato Grosso do Sul. 

Ainda segundo a publicação, o país manteve, pela terceira vez consecutiva, a tendência de queda nos indicadores de incidência e mortalidade pela covid-19. O boletim aponta que o número de casos e de óbitos registra queda há três semanas em cerca de 2% ao dia e a taxa de letalidade foi mantida em torno de 3% - ambos os percentuais são considerados altos pelos pesquisadores responsáveis pelo levantamento.

De acordo com os especialistas da Fiocruz, os números podem indicar um “arrefecimento mais duradouro da pandemia” como consequência do avanço da vacinação no país. Eles também destacaram a importância das medidas de proteção individual, como o uso de máscaras e o distanciamento físico.

“É importante destacar que as vacinas disponíveis apresentam limites em relação ao bloqueio da transmissão do vírus, que continua circulando com intensidade. As vacinas são especialmente efetivas na prevenção de casos graves”, ressaltaram.

Acompanhe o Vacinômetro em tempo real:

Últimas