Novo coronavírus pode estar presente na lágrima, afirma estudo

Pesquisadores explicam que pacientes com quadros mais graves de covid-19 têm mais chance de manifestar sintomas oftalmológicos

A lágrima apresenta uma carga viral baixa, mas suficiente para transmissão

A lágrima apresenta uma carga viral baixa, mas suficiente para transmissão

Pixabay

Um estudo publicado na revista científica Jama Ophtamology, liderado pelo oftalmologista Ping Wu, do Yichang Central People's Hospital, em Hubei, na China, aponta que o novo coronavírus pode estar presente na lágrima de pacientes infectados pela covid-19.

Os pesquisadores analisaram 38 pessoas internadas em um centro hospitalar na província de Hubei. Em 28 (73,7%) pacientes, foi detectado o novo coronavírus nas amostras nasofaríngeas e, em dois destes (5,2%), foi detectado o mesmo vírus tanto na conjuntiva (membrana mucosa que forra o globo do olho e o une as pálpebras), quanto nas amostras nasofaríngeas.

Ainda não existem evidências científicas que expliquem por que alguns pacientes apresentaram o vírus na lágrima e outros, não.

Segundo o estudo, a carga viral, isto é, a quantidade de vírus, detectada na lágrima de ambos os pacientes foi baixa, mas suficiente para ser uma via de transmissão.

Outra conclusão do estudo foi a de que 12 dos 38 pacientes manifestaram sintomas oftalmológicos, entre eles a conjuntivite. Deles, seis apresentavam quadro crítico, quatro apresentavam quadro moderado e dois apresentavam quadro severo.

A pesquisa ainda afirma que pacientes com quadros mais graves de covid-19 têm mais chances de manifestar sintomas oftalmológicos do que pacientes com quadros leves ou moderados. A explicação para tal, no entanto, ainda não foi esclarecida.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini