Sarampo
Saúde Novos passageiros de navio poderão ser vacinados contra sarampo

Novos passageiros de navio poderão ser vacinados contra sarampo

Cruzeiro MSC Seaview, o maior da temporada na costa brasileira, registrou surto da doença envolvendo 13 tripulantes nesta semana

MSC Seaview

Navio partirá para outra viagem neste sábado

Navio partirá para outra viagem neste sábado

Marco Silva/Futura Press/Folhapress - 20.2.2019

Cerca de 5.000 passageiros que deverão embarcar neste sábado (23) no navio de cruzeiro Seaview da MSC deverão ter a carteira de vacinação checada e poderão ser vacinados no porto de Santos, no litoral de São Paulo.

A operação, que envolverá cem profissionais, está sendo preparada pela Secretaria Estadual da Saúde, prefeitura de Santos e Anvisa e ocorre após a confirmação de infecção por sarampo de 13 tripulantes do navio.

Um mutirão já havia sido realizado na quarta-feira (20) para vacinar quem estava no cruzeiro, quando foram imunizadas 8.300 pessoas, além de outros 5.000 que subiram a bordo.

Nesta segunda ação, informou a secretaria, aqueles que estiverem com a carteira de vacinação desatualizada serão imunizados contra o sarampo. A vacina tríplice viral (protege contra sarampo, rubéola e caxumba) será aplicada independentemente da faixa-etária, esclareceu a pasta.

"Em caráter excepcional, a dose será ofertada para crianças a partir de seis meses de idade — convencionalmente, na rotina, a primeira dose é aplicada aos doze meses. A imunização realizada em até 72 horas evita que os pacientes infectados adoeçam."

"A vacina é feita com vírus vivo atenuado e é segura. Além dessa ação de imunização, todas as pessoas serão orientadas a procurar o serviço de saúde mais próximo em eventual mal estar ou início de sintomas, que podem incluir febre, mal estar, manchas vermelhas na pele sem coceira, entre outros", explicou em nota a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato.

O estado de São Paulo ultrapassou a meta de vacinar 95% das crianças contra sarampo na campanha de imunização de 2018, de acordo com dados da secretaria. Foram vacinadas mais de 2,1 milhão de menores na faixa de 1 a menores de 5 anos, o que corresponde a 97% do público-alvo. Especificamente na Baixada Santista, a cobertura na campanha foi de 99,3%, detalhou a pasta.

Atualmente, não há casos autóctones de sarampo em São Paulo. A circulação endêmica foi interrompida no Estado no ano 2000. "Casos esporádicos ocorreram eventualmente desde então, relacionados à importação do vírus de várias regiões do mundo onde ainda o controle da doença não foi atingido.

Em 2018, por exemplo, São Paulo registra apenas três casos confirmados, sendo um importado da Ásia Ocidental e outros dois do Estado do Amazonas."