Número de novos casos de coronavírus desacelera na China

Após pico de 3.887 confirmações em 4 de fevereiro, nesta quarta-feira, país teve registro diário de 2.015 casos; total chega a 44,6 mil

Maioria dos casos está na província de Hubei

Maioria dos casos está na província de Hubei

EFE/EPA/ALEX PLAVEVSKI

A China completa uma semana com queda diária do número de casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Dados da Comissão Nacional de Saúde divulgados nesta quarta-feira (12) mostram 2.015 confirmações, contra um pico de 3.887 em 4 de fevereiro. As mortes somam 1.113.

Mesmo assim, o desafio do país asiático ainda é imenso, já que das 44,6 mil pessoas que tiveram diagnóstico de covid-19 (nome dado à doença causada pelo novo coronavírus), 38,8 mil continuam em hospitais, sendo 8.204 em estado grave.

Outros 16 mil casos suspeitos aguardam confirmação de exame. O governo também afirmou que 4.740 pacientes foram curados e receberam alta do hospital até o fim da segunda-feira (11).

A maioria dos infectados está na província de Hubei, onde a epidemia começou.

Vinte e quatro países registraram até ontem 395 vítimas do vírus. A América Latina e a África continuam sem casos.

Pico deve ocorrer em fevereiro

Em entrevista à agência de notícias Reuters, o renomado pneumologista chinês Zhong Nanshan afirmou que o pico da doença deve ser registrado até o fim deste mês. Ele frisou o fato de que em muitos lugares o número de casos já começou a cair.

"Espero que este surto ou este evento termine lá para abril", previu o médico.