Saúde Número de pessoas na fila de espera por transplante de órgãos cai 40% em 5 anos

Número de pessoas na fila de espera por transplante de órgãos cai 40% em 5 anos

Nos últimos dez anos, o número de transplantes aumentou quase 50% no País

Número de pessoas na fila de espera por transplante de órgãos cai 40% em 5 anos

 Em 2003, foram realizadas 7.556 cirurgias e, em 2013, aumentou para 15.541

Em 2003, foram realizadas 7.556 cirurgias e, em 2013, aumentou para 15.541

Divulgação/ GDF

O número de pessoas na fila de espera por transplante de órgãos caiu 40% nos últimos cinco anos, de acordo com o balanço divulgado na manhã desta quarta-feira (25) pelo Ministério da Saúde.

Segundo o coordenador do SNT (Sistema Nacional de Transplantes), Heder Borba, nos últimos dez anos, o número de transplantes aumentou em quase 50% no Brasil. Em 2003, foram realizadas 7.556 cirurgias e, em 2013, 15.541 operações.

— Até junho deste ano, o índice de doadores no Brasil era de 13,5 doadores por milhão de habitantes. A aceitação familiar para doação de órgãos subiu de 20% para 55% nos últimos dez anos. A meta do Ministério da Saúde é atingir 15 doadores por milhão de habitante até o ano que vem.

Ceará é referência de transplantes de órgãos no País

Comparado com o primeiro semestre do ano passado, houve um salto de 4% nas doações de coração, 113% nas de pulmão, 7,4% nas de fígado e 18% nas de pâncreas. Em dez anos, segundo Borba, o número de transplantes de pulmão e coração, por exemplo, saltou 40%.

O transplante de córnea é responsável por 60% dos transplantes no Brasil, segundo o coordenador do SNT.

— Apesar disso, São Paulo, Pernambuco, Paraná e Distrito Federal e Rio Grande do Sul têm lista zero para transplante de córnea.

Importância das redes sociais

De acordo com Borba, apesar do sofrimento de perder um ente querido, mais de 50% das famílias brasileiras são favoráveis à doação de órgãos. Ainda segundo o coordenador, 135 mil usuários do Facebook já declararam e compartilharam na rede a vontade de serem doadores.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, enfatizou a importância da mobilização social para aumentar ainda mais o número de doações.

— É importante utilizar as redes sociais e o esporte para mobilizar e sensibilizar a sociedade para doação de órgão.

O Ministério da Saúde informou que 95% das cirurgias realizadas no País são feitas pelo SUS (Sistema Único de Saúde). E o País é responsável pelo maior sistema público de transplantes do mundo, segundo Borba.

Nesta sexta-feira (27) é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos.

*Colaborou Camila Savioli, estagiária do R7