Coronavírus

Saúde OMS: casos de Covid no mundo caem pela 4ª semana seguida

OMS: casos de Covid no mundo caem pela 4ª semana seguida

Todas as regiões analisadas pela agência tiveram redução na quantidade de positivos em torno de 5%

Agência EFE
Planeta registrou desde o início da pandemia 232 mi de casos de infecção pelo coronavírus

Planeta registrou desde o início da pandemia 232 mi de casos de infecção pelo coronavírus

Carlos Ortega/EFE

A OMS (Organização Mundial da Saúde) informou nesta quarta-feira (29) que o planeta registrou 3,3 milhões de casos de Covid-19 na semana de 20 a 26 de setembro, o que representa uma queda de 10% na comparação com os sete dias anteriores.

Todas as regiões analisadas pela agência da ONU tiveram redução na quantidade de positivos em torno de 5%. A menor de todas foi na Europa, com taxa de descenso de apenas 1%.

De acordo com boletim epidemiológico da OMS, foram notificadas entre os dias 20 e 26 deste mês 55.830 mortes por Covid-19 no planeta, o que também representa queda de 10% na comparação com a semana anterior.

Esta é a quarta redução consecutiva no indicador e a maior queda na taxa de vítimas desde junho deste ano.

A África foi a única exceção entre as subdivisões feitas pela Organização Mundial da Saúde, já que apresentou alta de 5% na quantidade de óbitos.

Ainda de acordo com os dados consolidados hoje, o planeta registrou desde o início da pandemia 232 milhões de casos de infecção pelo novo coronavírus e 4,7 milhões de mortos provocadas pela Covid-19.

O Brasil foi o segundo país com mais casos entre 20 e 26 de janeiro, com 247 mil, mais do que o dobro da semana anterior; ficando atrás apenas dos Estados Unidos, que teve 765 mil, o que representa queda de 31%.

Campanhas de vacinação

Segundo o boletim da OMS, de acordo com as informações repassadas pelas autoridades de saúde de cada país, foram aplicadas 6,2 bilhões de doses de vacina contra a covid-19 no planeta, com ritmo de 25,77 milhões por dia.

Até o momento, 44,8% da população recebeu uma dose de imunizante, pelo menos. O índice, contudo, cai para 2,3% quando são avaliados apenas os países de baixa renda.

Últimas