OMS: Mesmo países com poucos casos de covid-19 devem agir agora

Diretor-geral da organização afirma que mundo já perdeu primeira 'janela de oportunidade' para barrar coronavírus e a segunda está se fechando

OMS: países com poucos casos de covid-19 devem agir

Atendimento em Cochabamba, Bolívia, é feito na Vila dos Jogos Sul-Americanos

Atendimento em Cochabamba, Bolívia, é feito na Vila dos Jogos Sul-Americanos

Jorge Abrego / EFE - 25.3.2020

A OMS (Organização Mundial de Saúde) chamou a atenção para a expansão das medidas de controle da pandemia de covid-19 inclusive para os países que ainda apresentam um baixo número de casos. O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom, também ressaltou que os países que já tomaram medidas para garantir o isolamento de pessoas doentes e diminuir o contato social devem implementar outras medidas para evitar que este novo coronavírus ressurja no momento em que estas ações forem suspensas.

Adhanom foi enfático ao dizer que é preciso reconhecer que o mundo já perdeu a primeira janela de oportunidade para combater a pandemia há um ou dois meses atrás. "Esta segunda janela de oportunidade está se fechando", ressaltou o diretor-geral da OMS.

A OMS reconheceu a dificuldade de se tomar medidas severas como quarentenas e suspensão de atividades, especialmente pelos impactos econômicos. Porém, a avaliação da organização é que estes custos podem ser ainda piores caso a doença ressurja em poucos meses.

"A pergunta é: que preço vamos pagar?", disse Adhanom ao abrir a coletiva da OMS desta quarta-feira (25). "Já perdemos mais de 16 mil vidas. Quantas mortes mais serão determinadas pelas decisões e ações que tomamos agora?"

O diretor-geral da OMS ressaltou o papel das lideranças políticas neste momento. "Elas são fudamentais para criar comprometimento das comunidades [com as medidas necessárias]", disse Adhanom.

Medidas para evitar que coronavírus ressurja

A líder técnica da força-tarefa da OMS contra a covid-19, Maria Van Kerkhoven, ressaltou a efetividade de ações de isolamento social associada à identificação de casos. Segundo ela, nem todo país precisará tomar medidas drásticas de forma genérica. Ao contrário, os exemplos da China e de Cingapura mostram que é possível fazer frente à pandemia com medidas específicas de acordo com o perfil do comportamento da doença em cada localidade.

A OMS listou seis ações que devem ser tomadas por todos os países, dos já afetados por infecções em larga escala e que já conseguiram efetivar medidas de isolamento aos que ainda estão nos estágios iniciais da pandemia.

A primeira é aumentar o pessoal de saúde treinado e pronto para ação. A segunda é investigar todos os casos suspeitos e atender todos os casos positivos. A terceira, que já vem sendo reforçada ha dias pela OMS, é aumentar a produção e disponibilidade de testes. 

Uma quarta medida é ampliar a rede de atendimento, criando espaços para receber pesoas doentes. A quinta medida é isolar as pessoas doentes. E a sexta e última medida é colocar todas as estruturas e ações de governo dentro de um plano de supressão e controle do coronavírus.