Coronavírus

Saúde OMS retira recomendação contra uso do ibuprofeno para covid-19

OMS retira recomendação contra uso do ibuprofeno para covid-19

Instituição afirma que não tem dados e relatos sobre efeitos colaterais negativos, além dos usuais, Ministério da Saúde mantém restrição

  • Saúde | Brenda Marques, do R7

OMS recua sobre uso do ibuprofeno para tratar covid-19

OMS recua sobre uso do ibuprofeno para tratar covid-19

Vnukko/Pixabay

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recuou nesta quinta-feira (19) e afirmou que não tem recomendação contra o uso de remédios à base de ibuprofeno para tratar quem está com covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. 

A instituição afirma que está ciente das preocupações sobre o uso do ibuprofeno no tratamento da febre em pessoas com covid-19, mas não tem conhecimento de dados clínicos ou de base populacional publicados sobre esse tema.

"Estamos consultando médicos que tratam pacientes e e não temos conhecimento de relatos de efeitos colaterais negativos, além dos usuais que limitam seu uso em determinadas populações", destaca.

Na terça-feira (17), o porta-voz da organização, Christian Lindmeier, recomendou o uso de paracetamol ao invés de ibuprofeno para pacientes com a doença provocada pelo novo vírus, apesar de reconhecer que não havia evidências contra a utilização de anti-inflamatórios.

""Nossos especialistas estão investigando isso a fim de fornecer orientações futuras, mas, enquanto isso, recomendamos o uso de paracetamol e não de ibuprofeno ao se automedicar", disse em entrevista coletiva.

O Ministério da Saúde, entretanto, mantém seu posicionamento em relação à utilização do ibuprofeno e reforça que ele deve ser substituído por analgésicos. Apesar de reconhecer a falta de provas científicas sobre o medicamento, o órgão ressalta que essa é uma medida de precaução.

"Piora na saúde de pacientes graves com coronavírus (com dificuldades respiratórias) foram levantadas por outros países, como França, Espanha e Inglaterra", cita a pasta em comunicado em rede social.

"É fundamental que a substituição dos medicamentos seja feita com recomendação de um profissional de saúde", acrescenta.

Leia também: Anti-inflamatórios podem agravar quadros de covid-19, alerta França

Últimas