Saúde País já registrou 710 mortes por dengue este ano, 256 em SP

País já registrou 710 mortes por dengue este ano, 256 em SP

No período, houve notificação de 1,5 milhão de casos prováveis de dengue, o que representa 716 casos a cada 100 mil habitantes em todo o país

O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue

O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue

A8SE

Foram registradas até o dia 2 de novembro 710 mortes por dengue este ano no Brasil, conforme novo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde. O número é 5,4 vezes maior que as 132 mortes registradas no mesmo período do ano passado.

Outros 371 óbitos estão em investigação. O Estado de São Paulo já teve confirmados 256 óbitos este ano, segundo a pasta - no mesmo período de 2018, tinham sido apenas 6 mortes.

Leia mais: Vacina da dengue está na última etapa de testes, segundo Ministro

No país, no período, houve notificação de 1,5 milhão de casos prováveis de dengue, o que representa 716 casos a cada 100 mil habitantes. No ano passado, eram 223,9 mil casos - 107,4 por 100 mil. Em São Paulo, este ano, foram 442,2 mil, coeficiente de 963 1 casos por 100 mil moradores. No mesmo período de 2018, eram 15 2 mil casos - 33,5 por 100 mil habitantes.

Em 20 dias, desde o último levantamento, foram notificados 15,2 mil novos casos e 21 mortes por dengue no país, o que levou o Ministério da Saúde a fazer um apelo à população para continuar, de forma permanente, a mobilização contra o mosquito Aedes aegypti, que também transmite a chikungunya e a zika.

"O período de verão é o mais propício à proliferação do mosquito por causa das chuvas e, consequentemente, é a época de maior risco de infecção. No entanto, a recomendação é não descuidar nenhum dia do ano e manter todas as posturas possíveis em ação para prevenir os focos", informou.

Conforme a pasta, mesmo no período do inverno, quando a curva de incidência no país retorna ao canal endêmico, observou-se um discreto aumento nos casos prováveis de dengue, quando se esperava uma redução. Essa tendência atingiu também o Sudeste, incluindo o estado de São Paulo, onde o inverno registrou temperaturas acima da média.

Em municípios paulistas, foram confirmadas nove mortes por dengue nas últimas semanas. O estado registrou forte avanço do sorotipo 2 da doença, em regiões onde não circulava há anos.

A cidade de São José do Rio Preto lidera o ranking paulista da dengue, com 32,6 mil casos confirmados e 19 mortes. Em letalidade, a liderança é de Bauru, que registrou 26 mil casos e 32 mortes.

O estado de São Paulo, no entanto, não registra mortes por chikungunya e zika este ano. No país, a chikungunya matou 81 pessoas este ano - outros 51 óbitos estão em investigação. A zika causou a morte de três pessoas, todas no estado da Paraíba.