Para evitar aglomeração, doações de sangue devem ser agendadas

Governo adota medidas para evitar a propagação do coronavírus e, ao mesmo tempo, manter os estoques em dia nos hemocentros

Hemocentros precisam de doação

Hemocentros precisam de doação

Pixabay

A Anvisa (Nacional de Vigilância Sanitária) e o Ministério da Saúde atualizaram, diante da pandemia de Covid-19, doença causada pelo coronavírus, os critérios para a triagem de doadores de sangue.

Pessoas que viajaram ou são procedentes de países com casos da doença, devem aguardar 14 dias da chegada para fazer a doação. Quem teve o diagnóstico da doença só poderá doar sangue 30 dias, após a completa recuperação da mesma. 

Leia mais: Tire suas dúvidas sobre o coronavírus

Para os candidatos que tiveram contato, nos últimos 30 dias, com pessoa com diagnóstico clínico ou laboratorial do novo coronavírus, também não pode doar por um período de 14 dias, após o último contato.

Na Fundação Pró-Sangue, ligada a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, os interessados devem agendar, por telefone, dia e horário para ir até um posto de atendimento. "Dessa forma, evitamos aglomeração no momento da espera para entrevista e doação", explica o médico da Fundação, Cássio Marcos de Carvalho Giannini.

O médico, também, informa que nos postos de coleta de sangue, os doadores não ficam próximos uns dos outros e o álcool gel está disponível. "Importante que os doadores usem máscaras e respondam às perguntas com o máximo de sinceridade", diz.

Pessoas que estão com febre, dores no corpo ou tosse devem ficar em casa. "Nos preocupamos com aqueles que vão receber o sangue, mas também com quem está doando, prioridade é estar bem de saúde."

Hemocentros

Mesmo com o isolamento, os hemocentros continuam funcionando em todo o país. Alguns, com a baixa circulação de pessoas, chegaram a operar com nível de alerta, devido a baixa nos estoques, como ocorreu em Campinas, que teve uma queda de 25% nas doações. No Rio de Janeiro, a queda foi de 50%. 

"Em São Paulo os números têm oscilado, mas também registramos uma queda no número de bolsas em estoque", avalia Giannini. No momento, estão em baixa os tipos sanguíneos: O positivo e O negativo, B negativo e A negativo.