Novo Coronavírus

Saúde Paraná faz acordo com Rússia para produzir vacina contra coronavírus

Paraná faz acordo com Rússia para produzir vacina contra coronavírus

Governo do estado anuncia acordo com empresa estatal russa para fabricação, produção e distribuição de vacina Sputnik V contra coronavírus

  • Saúde | Fabíola Perez, do R7

Governo do Paraná assina acordo com Rússia para produzir vacina contra coronavírus

Governo do Paraná assina acordo com Rússia para produzir vacina contra coronavírus

Kai Pfaffenbach/Reuters

O governo do Paraná anunciou que irá assinar, na quarta-feira (12), um convênio com a empresa estatal russa para produzir a vacina Sputnik V, contra o novo coronavírus. O nome da vacina faz referência ao primeiro satélite lançado ao espaço na história, pela então União Soviética, em 1957.

Leia mais: Rússia é o primeiro país a aprovar vacina contra a covid-19, diz Putin

De acordo com o governo, o acordo prevê que o estado poderá fazer testes, produzir e distribuir a vacina. A previsão é de que o convênio seja assinado pelo governador Ratinho Júnior (PSD) e o embaixador da Rússia, às 14h da quarta-feira.

Segundo o governo, a etapa seguinte à assinatura do acordo é o compartilhamento do protocolo russo com a Anvisa, para que a agência libere as demais etapas. Foi feita uma primeira aproximação entre o governo do estado com as autoridades russas. No momento, o protocolo está sendo estudado.

Veja também: Rússia diz que vacina contra a covid-19 poderá ser fabricada no Brasil

Nesta terça-feira (11), o presidente Vladimir Putin afirmou que a Rússia se tornou o primeiro país do mundo a conceder aprovação regulatória para uma vacina contra a covid-19 após menos de dois meses de testes em humanos, uma medida aclamada por Moscou como prova de eficiência científica.

Leia também: OMS mostra cautela após Rússia anunciar 1ª vacina contra covid-19

O desenvolvimento abre caminho para a imunização em massa da população russa, mesmo enquanto o estágio final de testes clínicos para testar a segurança e eficácia segue em andamento.

A velocidade com que a Rússia se move para lançar sua vacina demonstra determinação em vencer a corrida global na busca por um produto eficaz, mas, ao mesmo tempo, desperta temor pela possibilidade de o país colocar o prestígio nacional acima da ciência e da segurança.

Putin disse, em uma reunião governamental na televisão estatal, que a vacina, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou, é segura e que chegou a ser administrada a uma de suas filhas.

Últimas