Saúde Pazuello diz que brasileiros terão vacina assim que estiver disponível

Pazuello diz que brasileiros terão vacina assim que estiver disponível

Ministro interino da Saúde afirmou que país está na 'vanguarda do que há de melhor' na corrida mundial por um imunizante eficaz contra a covid-19 

  • Saúde | Do R7

Anvisa já autorizou três estudos clínicos de potenciais vacinas no Brasil

Anvisa já autorizou três estudos clínicos de potenciais vacinas no Brasil

Kai Pfaffenbach/Arquivo/Reuters

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou que "os brasileiros terão, com certeza, a vacina [contra a covid-19] assim que ela estiver disponível no mundo". O chefe da pasta participou de coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (24), em Brasília.

"Nós estamos na vanguarda no que há de melhor no mundo. Os brasileiros terão, com certeza, a vacina assim que ela estiver disponível no mundo. Nós temos três grandes linhas", disse o ministro interino.  

Pazuello ressaltou o acordo para produzir no Brasil a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca. O potencial imunizante, que está na terceira fase de testes clínicos, é considerado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) o "mais avançado" até o momento.

O acordo tem duas etapas. Começa com uma encomenda em que o Brasil assume também os riscos da pesquisa. Ou seja, será paga pela tecnologia mesmo não tendo os resultados dos ensaios clínicos finais. Em uma segunda fase, caso a vacina se mostre eficaz e segura, será ampliada a compra.

Nessa fase inicial, de risco assumido, serão 30,4 milhões de doses da vacina, no valor total de U$ 127 milhões, incluídos os custos de transferência da tecnologia e do processo produtivo da Fiocruz, estimados em U$ 30 milhões. Os dois lotes a serem disponibilizados à Fiocruz, de 15,2 milhões de doses cada, deverão ser entregues em dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

O chefe da pasta citou, ainda, outros duas vacinas. Segundo Pazuello, embora o país não tenha condições de fabricar o imunizante da fabricante Moderna, dos Estados Unidos, o governo federal está trabalhando para ter "prioridade" na aquisição. 

Além disso, ele também destacou a vacina chinesa. Os imunizantes, que foram desenvolvidos pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, estão na 3ª fase de testes clínicos —considerada aaa reta final dos ensaios em humanos. 

Segundo o Instituto Butantan, em São Paulo, caso os testes comprovem a eficácia do imunizante, 60 milhões de doses iniciais estarão disponíveis para o Brasil até o final deste ano e serão distribuídas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) até junho de 2021.

Últimas