Coronavírus

Saúde Pedido de registro da Fiocruz é adiado para a próxima semana

Pedido de registro da Fiocruz é adiado para a próxima semana

Solicitação estava prevista para esta sexta-feira; fundação aguarda aprovação do uso emergencial da vacina de Oxford pela Anvisa

  • Saúde | Do R7

A Fiocruz vai produzir a vacina de Oxford no Brasil

A Fiocruz vai produzir a vacina de Oxford no Brasil

John Cairns/The University of Oxford

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que vai produzir a vacina de Oxford por meio do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, no país, afirma que a solicitação de pedido de registro, que havia sido anunciado para esta sexta-feira (15) foi adiado para a próxima semana.

Leia também: Vacinação no Brasil começa na quarta-feira, diz Pazuello a prefeitos

Segundo as normas brasileiras, toda vacina com autorização para uso emergencial só poderá ser ministrada a uma população específica e restrita. A Fiocruz explica que, "para garantir o acesso de toda a população às vacinas a serem produzidas pela Fiocruz, o processo de submissão continuada, junto à Anvisa, para pedido de registro definitivo segue normalmente".

Os 2 milhões de doses da vacina de Oxford adquiridas pelo Ministério da Saúde para o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19, com previsão de chegada ao Brasil da Índia neste final de semana, serão encaminhados à Fiocruz.

"No dia seguinte [à chegada], a partir do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos, na Fiocruz, as vacinas poderão seguir diretamente para distribuição, que está sob responsabilidade do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19", informa.

A previsão é que a Fiocruz produza 50 milhões de doses da vacina até abril e 100,4 milhões de doses até julho. "De agosto a dezembro, serão mais 110 milhões de doses de vacinas produzidas inteiramente na instituição, garantindo autonomia para o país e continuidade da vacinação para toda a população brasileira", diz a Fiocruz.

Últimas