Pesquisa avalia vacina que prolonga imunidade contra a covid-19

Técnica utiliza tecnologia de encapsulamento celular que imuniza de forma mais rápida; vacina será testada em ratos e na próxima semana em humanos

Encapsulamento celular pode imunizar de forma mais rápida e prolongada

Encapsulamento celular pode imunizar de forma mais rápida e prolongada

Reuters - 26.05.2020

Pesquisadores da Universidade de Genebra, na Suíça, e de uma rede de hospitais universitários investigam uma vacina contra o novo coronavírus, que utilizaria a tecnologia de encapsulamento celular e poderia imunizar de forma mais rápida e prolongada.

Saiba mais: Brasil usa vírus da gripe e bactérias para criar vacina contra covid-19

A informação foi divulgada nesta terça-feira (2) por meio de comunicado emitido pelo grupo de cientistas, que estão recebendo colaboração da universidade canadense de Laval e da companhia suíça de biotecnologia MaxiVAX.

De acordo com os pesquisadores, a nova vacina será testada em ratos na próxima semana, mais tarde, podendo ser liberada para ensaios com humanos, caso os resultados preliminares sejam positivos.

Por meio do encapsulamento celular, que até agora estava sendo avaliado em hospitais universitários de Genebra, em terapias contra o câncer, se implanta uma vacina que inclui um estimulador do sistema imunológico e contém a informação contra as proteínas, em forma de coroa, que identifica o vírus.

Leia também: Brasil avança em pesquisas de vacina contra o coronavírus

A tecnologia envolve as células em uma membrana semipermeável, antes de serem injetadas no paciente, com o fim de protegê-las no sistema imunológico do paciente e prevenir a rejeição pelo organismo, sem que seja necessário usar imunossupressores, conclui o comunicado.

Entenda quais são as etadas da covid-19 e como ela age no corpo: