Pesquisadores de Oxford testarão vacina em 10 mil pessoas

Adultos e crianças participarão das novas fases da pesquisa para saber qual a eficácia do medicamento e o quanto o uso é seguro 

Vacina Coronavírus

Oxford amplia testes para a vacina

Oxford amplia testes para a vacina

Dado Ruvic/Reuters - 10.4.2020

A Universidade de Oxford e a AstraZeneca planejam recrutar cerca de 10 mil adultos e crianças do Reino Unido para realizar testes de uma vacina experimental contra coronavírus. A medicação recebeu um aporte de mais de US$ 1,2 bilhão  dos Estados Unidos na quinta-feira (21).

Nesta sexta-feira (22), a universidade disse que instituições parceiras de todo o Reino Unido começaram a recrutar até 10.260 adultos e crianças para ver como o sistema imunológico humano reage à vacina e o quanto ela é segura.

Leia mais: Coronavírus: o que se sabe sobre a vacina que teve resultados preliminares positivos nos EUA

Um teste inicial que começou no dia 23 de abril já aplicou a injeção em mais de mil voluntários de idades variando entre 18 e 55 anos. De acordo com os pesquisadores de Oxford, as fases 2 e 3 acrescentarão pessoas de 56 anos e mais velhas, além de crianças de 5 a 12 anos.

Leia mais: Covid-19: empresa anuncia vacina com resultados promissores

"A velocidade com que esta nova vacina avançou para testes clínicos de fase adiantada é um testemunho da pesquisa científica pioneira de Oxford", disse Mene Pangalos, executivo da AstraZeneca.

A AstraZeneca já assinou com o Reino Unido e com os EUA como parceiros para produzir a vacina em escala industrial, antecipando-se à confirmação de que ela funciona e é segura.