Coronavírus

Saúde Pesquisadores descobrem possível nova variante da covid na Bélgica

Pesquisadores descobrem possível nova variante da covid na Bélgica

Mutação foi encontrada em janeiro, já representa 4% dos casos no país, mas ainda não é considerada preocupante

  • Saúde | Da EFE

Estudantes na Bélgica, onde foi encontrada nova variante

Estudantes na Bélgica, onde foi encontrada nova variante

STEPHANIE LECOCQ/EFE - 17.3.2021

Pesquisadores da Universidade de Liège descobriram em janeiro passado uma nova mutação do vírus Sars-Cov-2, responsável pela covid-19, com efeitos ainda desconhecidos, de acordo com o jornal belga Le Soir, desta segunda-feira (22).

A nova mutação, conhecida como Spike Insertion (SI), que tem o nome científico B.1.214, ainda não está classificada como uma "variante preocupante" (VOC). Por enquanto, somente as cepas Britânicas, Sul-africanas e a brasileira são consideradas mais graves. 

No entanto, os investigadores ressaltaram que esta nova variação "ainda não suscita qualquer preocupação especial quanto à sua periculosidade" e que não se sabe se oferece alguma vantagem ao vírus original em termos de transmissibilidade.

A mutação já representa 4 % dos contágios das mostras observadas, a mesma porcentagem das cepas sul-africanas e brasileira. Por enquanto, a Britânica é a causa da infeccção de 70 a 75 % dos casos na Bélgica, de acordo com o pesquisadores.

No entanto, "podemos ver o aumento progressivo na Bélgica, especialmente em Bruxelas, Brabante Flamengo e Hainaut, mas temos quase a certeza de que não é uma estirpe belga", explicou um pesquisador, que comentou que esta variação "deve ter vindo de Marrocos, Argélia, Tunísia, Líbia e Egito, países da África Saariana, e chegou pela viagem dos belgas."

Últimas