Pessoas com covid-19 podem ter alterações neurológicas

Estudo inédito identificou desde tontura e confusão mental até acidente vascular cerebral em pacientes internados com a doença na China

Estudo analisou pacientes internados em Wuhan

Estudo analisou pacientes internados em Wuhan

EFE/EPA

Um estudo publicado nesta sexta-feira (10) na revista científica JAMA Neurology, da Associação Médica Americana, traz pela primeira vez constatações de problemas neurológicos em pacientes internados com covid-19.

Pesquisadores chineses analisaram, entre janeiro e fevereiro, 214 pacientes com diagnóstico confirmado para covid-19 que se encontravam em hospitais de referência para a doença na cidade de Wuhan (China), onde a pandemia teve início.

A idade média era de 57,2 anos; 38,8% deles tinham ao menos uma comorbidade, sendo hipertensão, diabetes e doença cardiovascular as mais comuns.

Foram constatadas manifestações neurológicas em 78 pacientes (36,4% do total).

"As manifestações neurológicas se dividiram em 3 categorias: manifestações do sistema nervoso central (tontura, dor de cabeça, confusão mental, doença cerebrovascular aguda [AVC], ataxia [coordenação motora prejudicada] e convulsão), manifestações do sistema nervoso periférico (comprometimento do paladar, comprometimento do olfato, comprometimento do olfato, comprometimento da visão e dor neuropática [provocada por lesões neurológicas]) e manifestações de lesão muscular esquelética [quando o vírus mata células musculares]", explicaram os autores. 

Todas as manifestações neurológicas dos pacientes foram revisadas e confirmadas por dois neurologistas experientes e, em alguns casos, submetidas à avaliação de um terceiro profissional.

Os que tinham quadros mais graves de covid-19 foram os que mais apresentaram complicações no sistema nervoso, que incluíram acidente vascular cerebral (5,7%); confusão mental (14,8%); e lesão muscular esquelética (19,3%).

Os pesquisadores destacaram que dois pacientes chegaram ao hospital com sintomas de AVC (hemiplegia, que é a paralisia de parte do corpo) antes de apresentarem sinais da covid-19 (febre, tosse, entre outros).

"Suas lesões pulmonares foram encontradas por uma TC [tomografia computadorizada] pulmonar de emergência e foram diagnosticadas como tendo covid-19 por uma detecção positiva de ácido nucleico de SARS-CoV2 [teste específico para coronavírus] no estágio posterior", observaram.

A conclusão foi de que "os pacientes com covid-19 geralmente apresentam manifestações neurológicas."

"Durante o período epidêmico de covid-19, ao atender pacientes com manifestações neurológicas, os médicos devem suspeitar de infecção por SARS-CoV2 com síndrome respiratória aguda grave como um diagnóstico diferencial para evitar atrasos no diagnóstico ou erro de diagnóstico e perder a chance de tratar e prevenir a transmissão adicional", recomendam.