Coronavírus

Saúde Pfizer: terceira dose aumenta proteção contra variante Delta

Pfizer: terceira dose aumenta proteção contra variante Delta

Farmacêutica apresentou à agência reguladora de medicamentos dos EUA dados preliminares de estudo de reforço da vacina

Reuters
Terceira dose já foi autorizada pelos EUA a pessoas imunocomprometidas

Terceira dose já foi autorizada pelos EUA a pessoas imunocomprometidas

Marco Bello/Reuters

A Pfizer e a parceira alemã BioNTech disseram nesta segunda-feira (16) que apresentaram dados primários de um teste de estágio inicial à FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos), como parte de uma solicitação que pede autorização para uma dose de reforço de sua vacina contra a covid-19.

Os dados também serão submetidos à EMA (Agência Europeia de Medicamentos) e a outras autoridades regulatórias nas próximas semanas, disseram as farmacêuticas.

No teste, a terceira dose desencadeou anticorpos neutralizantes consideravelmente maiores contra o vírus SARS-CoV-2 original na comparação com os níveis observados após a série primária de duas doses, assim como contra as variantes Beta (África do Sul) e Delta (Índia), segundo os laboratórios.

Todos os pacientes receberam a terceira dose da vacina da Pfizer/BioNTech de oito a nove meses depois da administração da segunda dose.

Os resultados de um teste de estágio avançado de avaliação da terceira dose são esperados para breve e serão apresentados à FDA, EMA e outras autoridades regulatórias de todo o mundo, disseram as empresas.

Na semana passada, autoridades regulatórias dos EUA autorizaram uma terceira dose das vacinas contra covid-19 da Pfizer/BioNTech e da Moderna para pessoas com imunidade comprometida que provavelmente têm uma proteção menor dos regimes de duas doses.

Últimas