Coronavírus

Saúde Por que quem já teve covid-19 deverá tomar a vacina contra a doença

Por que quem já teve covid-19 deverá tomar a vacina contra a doença

Ainda não se sabe quanto tempo dura e como funciona a imunidade desenvolvida pelo organismo, por isso todos devem se vacinar, diz especialista

  • Saúde | Brenda Marques, do R7

Margaret Keenan, de 90 anos, foi a primeira pessoa a ser vacina contra a covid no Reino Unido

Margaret Keenan, de 90 anos, foi a primeira pessoa a ser vacina contra a covid no Reino Unido

Jacob King/EFE-EPA –08-12-2020

O conhecimento sobre a covid-19 é construído e se atualiza a cada dia, mas uma das principais lacunas diz respeito à imunidade. Não há consenso científico sobre quanto tempo dura a proteção de quem já teve a doença. Por isso, mesmo aqueles que já foram infectados deverão tomar uma vacina - que continuará sendo estudada mesmo após a aprovação por órgãos reguladores.

A pediatra Mônica Levi, diretora da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) afirma que a proteção desencadeada pela infecção viral a partir da reação do sistema imune é duvidosa.

"A recomendação é vacinar idependente de ter histórico da doença ou não, porque não se sabe quanto tempo dura a imunidade natural nem a da [potencial] vacina", destaca.

A especialista cita os casos confirmados de reinfecção - embora eles sejam raros - como uma das evidências de que quem já teve covid-19 uma vez não está imune à doença. "Nem sempre essas reinfecções são mais leves, tem também casos graves", observa.

De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade de Oxford com profissionais de saúde do Reino Unido, a reinfecção pelo coronavírus é altamente improvável por pelo menos seis meses após a primeira infecção.

A investigação durou 30 semanas, entre abril e novembro deste ano. No período, 89 de 11.052 funcionários sem anticorpos desenvolveram uma nova infecção com sintomas, enquanto nenhum dos 1.246 funcionários com anticorpos desenvolveu uma infecção sintomática - e 3 deles tiveram resultados positivos de testes para o coronavírus, mas sem apresentar sintomas.

Entretanto, ser improvável não quer dizer que não aconteça - tanto que existem casos de reinfecção confirmados antes do intervalo de seis meses, como aconteceu inclusive no Brasil

Portanto, o que se sabe é que quem já foi infectado, em princípio, está protegido - mas por quanto tempo e por que ainda são perguntas sem resposta.

Mônica lembra que outros estudos mostram a diminuição de anticorpos contra a covid-19 após alguns meses, mas isso tampouco permite concluir que a pessoa está desprotegida contra a covid-19 porque existem outras armas de combate de que o sistema imune dispõe: as células T, que são capazes de identificar e matar células infectadas pelo coronavírus.

Entretanto, o papel exato dos anticorpos e das células T nessa guerra ainda não foi esclarecido. "Ainda está em plano de estudo mundial como funciona a imunidade com o novo coronavírus", reitera. "Mesmo quem teve a doença deve fazer distanciamento [social], pois não se trata de um passaporte para a imunidade", finaliza.

Últimas