Sarampo
Saúde Prefeitura vai manter vacinação contra sarampo para bebês

Prefeitura vai manter vacinação contra sarampo para bebês

Campanha de vacinação termina neste sábado (31), mas a Prefeitura de São Paulo decidiu manter a vacinação preventiva 

Maior incidência da doença ocorre em crianças menores de 1 ano

Maior incidência da doença ocorre em crianças menores de 1 ano

Marcelo Camargo/Agência Brasil

A campanha de vacinação contra o sarampo termina neste sábado (31) na cidade de São Paulo, mas a Secretaria Municipal da Saúde decidiu manter a  vacinação em crianças entre 6 e 11 meses de idade nos postos de saúde da cidade e em CEI/creches da capital paulista até atingir a meta de 95% de cobertura vacinal desta faixa etária.

Leia mais: Secretaria confirma primeira morte por sarampo em SP este ano

Sarampo: país tem 2.331 casos confirmados e 10 mil suspeitos

A maior incidência da doença ocorre em menores de 1 ano, com 296 casos e incidência de 45 crianças infectadas para cada 100 mil habitantes. A Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo confirmou na sexta-feira (30) a morte de dois bebês por sarampo na Grande São Paulo. Com isso, já são três óbitos confirmados pela doença no Estado após um período de 22 anos sem o vírus fazer vítimas fatais em território paulista.

A maior incidência da doença ocorre em menores de 1 ano, com 296 casos e incidência de 45 crianças infectadas para cada 100 mil habitantes.

Com o encerramento da campanha, a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, continuará disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para a vacinação de rotina e atualização do esquema vacinal.

A recomendação é que pessoas de 1 a 29 anos de idade devem ter duas doses comprovadas da vacina, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. Quem tem entre 30 a 59 anos precisa receber pelo menos uma dose da vacina tríplice viral.

Campanha foi prorrogada duas vezes

A campanha de vacinação contra o sarampo começou em 10 de junho na cidade e foi prorrogada duas vezes. A cobertura vacinal de crianças de 6 a 11 meses chegou a 66,21% com 56.071 doses aplicadas.

Entre os paulistanos de 15 a 29 anos a cobertura chegou a 42,5% com 1.237.458 doses. Estas são as duas faixas da população com maior número de casos registrados. O número de casos confirmados até o momento é de 1.637 no município.

Durante o período da campanha, foram adotadas estratégias como instalação de postos volantes em locais de grande circulação de pessoas, como estações de trens, metrô e terminais de ônibus e, mais recentemente, em creches, escolas e universidades.

Notificação de casos suspeitos

A secretaria segue com as ações de bloqueio quando há notificação de casos suspeitos de sarampo.  As ações têm objetivo de interromper a transmissão da doença, independentemente da confirmação do diagnóstico. Os bloqueios são desencadeados na residência do paciente com suspeita da doença, bem como em locais frequentados por ele, como escola ou local de trabalho. Neste ano, já foram realizadas mais de 9,7 mil ações do tipo em toda a cidade.