Saúde Proteínas da saliva podem ajudar a prever forma grave da Covid-19

Proteínas da saliva podem ajudar a prever forma grave da Covid-19

Estudo realizado nos Estados Unidos detectou presença elevada de ligantes de efrina, uma família de proteínas, na saliva de pacientes hospitalizados com a doença

Agência EFE

Freepik

A presença de uma família de proteínas na saliva é significativamente elevada em pacientes hospitalizados por Covid-19 e pode servir como um biomarcador para ajudar a identificar pessoas que correm o risco de apresentar a forma grave da doença.

As proteínas conhecidas como ligantes de efrina “são detectáveis ​​em amostras de saliva e podem servir como marcadores complementares para monitorar a progressão da Covid-19”, disse Erika Egal, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, e autora do artigo.

Os pesquisadores analisaram amostras de saliva coletadas de pacientes internados na emergência com problemas respiratórios e descobriram que a presença de ligantes de efrina na saliva “estava fortemente associada” ao diagnóstico grave de Covid-19.

A pesquisa de efrinas na saliva pode oferecer uma maneira simples e não invasiva de fornecer evidências corroborantes quando existe inconsistência entre os resultados dos testes e o quadro clínico, disse Egal.

Estudos anteriores sugerem que as efrinas desempenham um papel em lesões e inflamações, e a equipe acredita que os resultados desta pesquisa poderiam ajudar a esclarecer os processos biológicos envolvidos nas reações graves à infecção por Sars-CoV-2.

No entanto, observaram que mais pesquisas são necessárias para determinar se os níveis de efrina estão associados a um maior risco de hospitalização, doença crítica ou morte.

Além disso, acrescentaram, à medida que surgem novas variantes, pode ser difícil saber se os testes existentes são capazes de detectar com precisão as infecções que elas implicam.

Últimas