Coronavírus

Saúde Quase 7 milhões de vacinas permanecem em galpão do SUS

Quase 7 milhões de vacinas permanecem em galpão do SUS

Ministério da Saúde afirma que 3,6 milhões de doses serão remetidas a estados a partir de sexta-feira (13)

Ministro citou necessidade de validação para liberar caixas da Pfizer

Ministro citou necessidade de validação para liberar caixas da Pfizer

Divulgação/Pfizer

O Ministério da Saúde informou que 6,9 milhões de vacinas contra a covid-19 permaneciam paradas em um galpão do SUS em Guarulhos (SP) na manhã desta quinta-feira (12).

O local é o Centro de Distribuição do ministério, para onde todos os imunizantes são levados antes do envio às unidades da federação.

Ainda de acordo com a pasta, 3,6 milhões de doses serão liberadas ainda hoje e começam a ser distribuídas a partir de sexta-feira (13).

Mas 3,3 milhões de doses continuam paradas. O ministério diz que os lotes "aguardam trâmite para liberação dos órgãos reguladores que atestam a qualidade dos imunizantes".

A nota enviada ao R7 não menciona quais são os imunizantes, mas ontem o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que algumas caixas da vacina da Pfizer/BioNTech tiveram uma variação de temperatura fora dos padrões.

Quando isto acontece, complementou o ministro, é preciso que a própria fabricante determine se há condições de uso das vacinas.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou hoje que "não há nenhuma pendência sob encargo" dela em relação à liberação de vacinas.

O problema ocorre no momento em que a cidade do Rio de Janeiro precisou parar a aplicação da primeira dose por falta de imunizantes.

Também na entrevista de ontem, Queiroga culpou a falta de gestão local e negou que haja atraso no envio de vacinas.

Ele disse que algumas prefeituras estão acelerando demais a vacinação, o que justificaria a falta de doses em determinados momentos.

Últimas