Coronavírus

Saúde Queiroga amplia verba na formação de profissionais para emergências

Queiroga amplia verba na formação de profissionais para emergências

Ministro afirmou que prioridade do SUS é capacitar especialistas em atenção primária, emergência médica e terapia intensiva

  • Saúde | Do R7

Ministério da Saúde aumenta investimento em residências médicas

Ministério da Saúde aumenta investimento em residências médicas

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 30.06.2021

O ministro da saúde Marcelo Queiroga anunciou, nesta quinta-feira (15), em Brasília, o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde, para a qualificação de profissionais capazes de atender as necessidades dos SUS (Sistema Único de Saúde). As prioridades serão formação na área de atenção primária, emergência médica e terapia intensiva. Profissionais fundamentais e que fazem falta nos momentos de crise, como o da pandemia no coronavírus.

"As prioridades do nosso sistema de saúde é investir na formação de profissionais da atenção primária, emergência médica e terapia intensiva em todas as áreas da saúde, a enfermagem e a fisioterapia na emergência é tão importante quanto os especialistsa da área médica", afirmou Queiroga.

O Ministério da Saúde é responsável por 23 mil bolsas entre residências médicas e multiprofissionais no Brasil. O investimento passou de R$ 1,09 bilhão, para 1,433 bilhão.
Os recursos serão divididos por três eixos de ação: apoio às instituições que desenvolvem os programas de residência, apoio à qualificação dos especialistas e recomposição das perdas salariais das bolsas de estudos, com um aumento de 24% nos valores.

Além disso, Queiroga anunciou que os preceptores, os médicos que ajudam na formação dos residentes, passarão a receber uma bolsa. "O compromisso é ampliar os investimentos. Pela primeira vez, os preceptores estão recebendo um incentivo financeiro para que esses profissionais, que ensinam, sejam reconhecidos. É um incentivo que será colocado em edital público e é tranversal para todas as instituições que têm residências, não só hospitais públicos federais", disse o ministro.

A iniciativa aumenta a oferta de vagas de especialização não só para médicos, como para enfermeiros, fisioterapeutas, dentista e todos os profissionais da saúde.

Últimas