Novo Coronavírus

Saúde Risco de coágulo é muito mais alto na covid do que após vacina

Risco de coágulo é muito mais alto na covid do que após vacina

Trombose venosa cerebral atinge 39 em 1 milhão dos infectados pelo coronavírus; na vacina, foram 5 pessoas em 1 milhão

Reuters
Casos de coágulos após vacina da AstraZeneca levaram a restrições ao uso do produto

Casos de coágulos após vacina da AstraZeneca levaram a restrições ao uso do produto

Sergio Perez/Reuters

Há um risco muito maior de coágulos sanguíneos cerebrais na covid-19 do que nas vacinas contra a doença, disseram pesquisadores britânicos nesta quinta-feira (15), depois que o uso de imunizantes foi interrompido por relatos de coágulos raros.

AstraZeneca e Johnson & Johnson receberam relatos muito raros de TSVC (trombose do seio venoso cerebral) associada às vacinas.

Na quarta-feira, os Estados Unidos interromperam a vacinação usando a injeção de J&J enquanto uma ligação com coágulos é investigada. Já a Dinamarca suspendeu a vacina da AstraZeneca por causa do possível efeito.

Reguladores britânicos e europeus enfatizaram que os benefícios da vacinação superam os riscos.

Um estudo com 500 mil pacientes com covid-19 descobriu que a trombose do seio venoso cerebral ocorreu a uma taxa de 39 pessoas em 1 milhão após a infecção, disseram os pesquisadores.

Isso se compara aos números da EMA (Agência Europeia de Medicamentos) que mostram que 5 em 1 milhão de pessoas relataram TSVC depois de receber a injeção da AstraZeneca.

Os pesquisadores disseram em um estudo pré-impresso que o risco de TSVC era de oito a dez vezes maior após a infecção pelo coronavírus do que das vacinas existentes para a doença.

"O risco de ter um [TSVC] após a covid-19 parece ser substancialmente e significativamente maior do que após receber a vacina Oxford-AstraZeneca", disse Maxime Taquet, do Departamento de Psiquiatria de Oxford, a repórteres.

O estudo foi baseado em um banco de dados de saúde dos EUA e, portanto, não acumulou novos dados sobre o risco de coágulos da vacina da AstraZeneca diretamente, já que a injeção não está sendo usada no país.

Taquet disse que a taxa de mortalidade por TSVC é de cerca de 20%, quer tenha ocorrido após a infecção pelo coronavírus ou por uma vacina, indicando que os coágulos são o principal fator de risco.

Os reguladores também observaram baixos níveis de plaquetas em relatórios de efeitos colaterais da vacina, mas os pesquisadores disseram que os dados eram limitados sobre se esse também era o caso daqueles que relataram trombose do seio venoso cerebral após a infecção.

Os pesquisadores destacaram que a covid-19 estava associada a distúrbios de coagulação mais comuns do que a TSVC, como derrames, e que o debate recente em torno das vacinas havia perdido de vista o quão ruim a própria doença poderia ser.

"A importância desta descoberta é que ela a traz de volta ao fato de que esta é uma doença realmente horrível com toda uma variedade de efeitos, incluindo aumento do risco de TSVC", John Geddes, diretor do NIHR Oxford Health Biomedical Research Center.

A equipe de pesquisa, da Universidade de Oxford, disse que trabalhou de forma independente da equipe de vacinas de Oxford que desenvolveu a injeção da AstraZeneca.

Últimas