Rússia confirma primeira morte no país devido ao coronavírus

Vítima era uma senhora de 79 anos que sofria de doenças crônicas, recebeu tratamento intensivo, mas não conseguiu superar a insuficiência respiratória

Idosa é primeira vítima fatal do coronavírus na Rússia

Idosa é primeira vítima fatal do coronavírus na Rússia

Reuters

A morte de uma mulher de 79 anos foi a primeira registrada na Rússia por conta do novo coronavírus, segundo informou nesta quinta-feira (19) o gabinete de crise criado pelo Conselho da Cidade de Moscou para lidar com a pandemia global.

"A paciente de 79 anos foi hospitalizada no dia 13 e, a pedido de sua família, foi transferida no dia 14 para uma clínica privada. Depois de confirmar seu positivo para o coronavírus, foi levada às pressas para o hospital de doenças infecciosas nº 2", disse um porta-voz do gabinete de crise, citado pela agência Interfax.

Ele acrescentou que a idosa, que sofria de doenças crônicas, recebeu tratamento intensivo, mas não conseguiu superar a insuficiência respiratória.

A confirmação da primeira morte pelo coronavírus na Rússia praticamente coincidiu com uma reunião do governo dedicada à crise da saúde, na qual o primeiro-ministro Mikhail Mishustin pediu calma e assegurou que o país está preparado para qualquer cenário.

"Foi montado um número suficiente de leitos para pacientes infectados e temos aparelhos respiratórios assistidos suficientes, mas, se necessário, podemos aumentar sua quantidade", disse Mishustin, na reunião com seus ministros, transmitido ao vivo pela televisão.

Segundo o chefe do governo, "muitas pessoas só agora estão tomando consciência da gravidade da situação".

"Mas não há razão para entrar em pânico", disse Mishustin, enfatizando que a Rússia tem "uma experiência bem-sucedida no combate a epidemias, tanto dentro do país como ao redor do mundo".