Rússia tem o maior número de mortes desde o início da pandemia

Mais de 4 mil pessoas morreram de covid-19; autoridades de Saúde alertaram que mortes aumentariam depois que país ultrapassasse platô de infecções

A capital Moscou é o epicentro da pandemia de covid-19 na Rússia

A capital Moscou é o epicentro da pandemia de covid-19 na Rússia

Reprodução/Pixabay

A Rússia registrou nos últimos dias um aumento em mortes por covid-19 e, nas últimas 24 horas, soma 232 novas vítimas, número mais elevado desde o início da pandemia no país, de acordo com informações divulgadas nesta sexta-feira (29) pelo centro operacional de combate ao novo coronavírus.

Segundo números oficiais, até o momento, 4.374 pessoas morreram desta doença na Rússia, detectada no país no dia 1º de março.

No dia anterior, foram registradas 174 novas mortes, o mesmo número do dia 26 e o maior em um dia até hoje.

A chefe da Saúde da Rússia, Anna Popova, já alertou que o número de mortes por covid-19 aumentaria depois que o país ultrapassasse o platô de novas infecções.

Moscou, epicentro da pandemia na Rússia, adicionou 76 mortes nas últimas 24 horas, acumulando agora 2.330 vítimas, indicando que é especialmente em outras regiões onde os óbitos estão aumentando.

Além da capital, o maior número de mortes diárias foi registrado na república norte-caucasiana do Daguestão (50), que ainda não conseguiu controlar a pandemia e causa preocupação no presidente russo, Vladimir Putin.

Outras 20 pessoas morreram na região de Moscou e 11 em São Petersburgo.

Durante o último dia na Rússia, foram confirmados 8.572 novos casos do novo coronavírus em 84 das 85 regiões, elevando o número total de pessoas infectadas em 387.623 no país.

Em todo o país, 159.257 pessoas já se recuperaram da covid-19, representando 41% do número total de infectados.

Pandemia em SP: da 1ª morte à retomada parcial das atividades