Saiba como continuar aguentando o longo período da quarentena

Tirar o pijama, reservar 30 minutos para fazer o que gosta e jantar com a família por videochamada são orientações para manter a saúde mental

Quarentena pode desencadear ansiedade, depressão e TOC

Quarentena pode desencadear ansiedade, depressão e TOC

Pixabay

A situação global de pandemia, em conjunto com a necessidade de quarentena e isolamento social pode acarretar na piora e no surgimento de transtornos psicológicos, explica o psicólogo Yuri Busin, Diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental - Equilíbrio (CASME).

Ele explica que essa situação de medo intenso, junto com a solidão e outros fatores podem desencadear transtornos como ansiedade, depressão e transtorno obsessivo compulsivo (TOC), para quem já tem predisposição.

“E o TOC pode ser justificável ainda, entendido como normal, o que é um perigo. Não é que não é para as pessoas não fazerem a assepsia, mas o paciente com TOC faz 100, 200 vezes.”

Leia também: Pandemia vai mudar o conceito de trabalho e de moradia

Além desses, a claustrofobia e a síndrome do pânico também podem ser desenvolvidas por conta da pandemia. “Se a pessoa ficou muito tempo sem sair, na primeira vez que ela for sair de casa, pode gerar um medo muito intenso e ela pode ter uma crise de pânico.”

Busin explica que existem algumas estratégias que podem ser utilizadas para melhorar a saúde mental, mas recomenda, em primeiro lugar, que todas as pessoas façam psicoterapia.

“Eu defendo que a psicoterapia é para todos, normalmente as pessoas procuram o psicólogo quando estão em algum sofrimento, mas não é só para resolver algum transtorno que ele existe.”

Além de fazer o acompanhamento psicoterápico, existem outras práticas diárias que ajudam a melhorar a saúde mental. “Uma atividade física já ajuda muito, além disso é importante tirar o pijama, para mantermos os hábitos que teríamos fora de casa.”

Segundo ele, diminuir a exposição a notícias também pode ajudar, restringindo o consumo para uma vez por dia por 20 minutos e em fontes confiáveis. “Os virais e fake news que recebemos no whatsapp geram uma preocupação desnecessária e contamina muito nosso humor.”

Ele recomenda que todos os dias as pessoas busquem algo que seja positivo, pelo qual sejam gratos ou que gostaram de realizar. Além disso, ele recomenda criar um tempo e um espaço dentro de casa para si.

“Reservar de 30 a 60 minutos por dia para fazer uma atividade que gosta e sempre quis fazer. Se a pessoa divide a casa, vale até combinar com as outras pessoas qual vai ser esse horário e espaço.”

Busin explica que é muito importante criar uma rotina, principalmente para as pessoas que tiveram uma grande mudança no dia a dia, como de trabalho presencial para home-office. “Você pode definir horários para cada tarefa ou fazer uma rotina mais flexível, em que você faz uma lista de tarefas para o dia.”

A vantagem da rotina por horário é que ela ajuda a combater a procrastinação, já a segunda, faz a pessoa criar uma sensação de responsabilidade consigo mesmo. “Caso você não consiga cumprir tudo, não precisa se preocupar. Você sempre terá o dia seguinte para começar novamente.”

Para o período de trabalho, ele recomenda estipular horários definidos e um ambiente na casa que seja apenas para isso. “Caso não tenha espaço para um ambiente apenas de trabalho, é legal você criar esse ambiente no período do expediente, colocando o notebook e outros instrumentos de trabalho em uma mesa e quando terminar guardar tudo e deixar como estava antes.”

Saiba mais: 'É o maior desafio da minha carreira': brasileiro dorme 4h por noite e lidera pesquisa de vacina em Oxford

Outra dica é criar desafios pessoais, mantendo-se ocupado e aprendendo coisas novas. “Isso cria a sensação de utilidade, que são muito importantes para o bem-estar. Fazer cursos online e praticar hobbies são uma boa maneira de se desafiar.”

Busin explica que é importante não parar de fazer atividades com a família e amigos, mesmo que remotamente. “É interessante fazer chamadas de vídeo, algumas pessoas estão marcando sessões de jogos de tabuleiro e até jantar em família.”

“Outra coisa que traz bem-estar é a solidariedade, não precisa ser uma ajuda apenas financeira, mas uma ligação, ou ir ao mercado para alguém mais idoso ou alguma outra atitude do tipo.”

O psicólogo também sugere tirar um momento para fazer uma reflexão diária em busca de autoconhecimento. De preferência pela manhã, pois nesse momento você está descansado e se sentirá energizado para as próximas tarefas do dia.

“É muito fácil entrarmos no piloto automático, trabalhando e fazendo as tarefas do dia a dia como se fossemos robôs. Fazer essa reflexão buscando um olhar positivo, ajuda muito a melhorar a qualidade de vida e a saúde mental.”

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini