Saiba em quais países o novo coronavírus já foi registrado

Dos mais de 6.000 casos contabilizados até esta quarta, apenas 85 ocorreram fora da China; e ainda assim, ligados ao país onde epidemia começou

Hong Kong proibiu entrada de viajantes da província de Hubei

Hong Kong proibiu entrada de viajantes da província de Hubei

EFE/EPA/JEROME FAVRE

Menos de 1,7% dos 6.172 casos do novo coronavírus registrados no mundo até agora ocorreram fora da China, mostra um levantamento feito pelo R7, com base em um monitoramento do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, e em informações divulgadas por governos locais. 

Em pouco mais de um mês, a epidemia de coronavírus infectou 102 pessoas em 16 países e duas regiões autônomas chinesas.

Há apenas dois registros de transmissão de pessoa para pessoa em outros países, mesmo assim, com alguma ligação com a China. 

A maioria dos casos, inclusive aqueles que evoluíram para óbito (132), continua restrita à China, especialmente à província de Hubei, onde a epidemia teve início. 

Com 16 casos até o momento, Taiwan é o local fora da China com mais casos atualmente. A ilha decidiu restringir vistos para cidadãos chineses temporariamente, além de banir a entrada de pessoas da província chinesa onde se iniciou a epidemia.

Em seguida, aparece a Tailândia, com 14 casos. Por ser um destino próximo e muito procurado por chineses, a Tailândia também foi o primeiro local fora da china a ter pessoas infectadas. No entanto, todos tinham passado pelo epicentro da epidemia, a cidade chinesa de Wuhan.

Na região autônoma chinesa de Hong Kong são dez casos. Nesta semana, o governo local anunciou um fechamento parcial das fronteiras.

Linhas férreas e balsas que ligam o território à China continental foram suspensas. Também foi proibida a entrada de viajantes procedentes de Hubei.

O Japão foi onde surgiu o segundo caso de coronavírus fora da China. Até agora, são sete registros, incluindo um motorista de ônibus que não esteve em território chinês.

No entanto, ele transportou um grupo de turistas de Wuhan e adoeceu. É um dos primeiros registros de transmissão entre pessoas fora da China.

A região autônoma chinesa de Macau tem sete infectados pelo coronavírus. Como medida de segurança, proibiu a entrada nos cassinos de pessoas que tenham visitado Hubei nos últimos 14 dias.

Já os turistas da província que visitarem a cidade precisam apresentar uma declaração médica para ter a entrada permitida.

Outros países próximos à China também tiveram casos, todos de viajantes procedentes das regiões afetadas. A Malásia registra 7 casos; Cingapura, 7; Coreia do Sul, 4; Vietnã, 2; Camboja, 1; Nepal, 1; Sri Lanka, 1.

A Austrália já contabiliza 5 casos de coronavírus. O país vai fazer uma megaoperação para retirar cerca de 600 cidadãos australianos da província de Hubei, onde poucos são autorizados a sair devido à quarentena imposta pelo governo local.

A companhia aérea Qantas se ofereceu para fretar um avião que levará os cidadãos da China para a ilha australiana de Christmas, no oceano Índico, onde permanecerão em quarentena.

Os Estados Unidos tiveram até o momento cinco pessoas infectadas. O primeiro caso foi de um norte-americano que viajou da China para o estado de Washington e adoeceu. Em seguida, outras pessoas apresentaram sintomas e tiveram o diagnóstico confirmado em São Francisco (2), Chicago (1), e no estado do Arizona (1).

França foi o primeiro país europeu a registrar casos do novo coronavírus

França foi o primeiro país europeu a registrar casos do novo coronavírus

EFE/EPA/IAN LANGSDON

O Canadá tem três casos, um na província da Colúmbia Britânica e outros dois em Ontário — um casal que viajou à China.

Na Europa, a França foi o primeiro país a registrar o novo vírus. Até agora são quatro casos. A Alemanha também tem quatro pessoas infectadas, incluindo um homem que não viajou para a China, mas teve contato com uma colega que havia estado em Wuhan.

Família chinesa adoeceu nos Emirados Árabes

Família chinesa adoeceu nos Emirados Árabes

EFE/Ali Haider

Nesta quarta-feira, os Emirados Árabes Unidos anunciaram que quatro chineses da mesma família estão isolados no país após serem diagnosticados com o vírus.

O Brasil investiga um caso suspeito em Minas Gerais — de uma estudante brasileira que esteve em Wuhan.

Dois casos que aguardavam análises, no Paraná e Rio Grande do Sul, foram descartados pelo Ministério da Saúde. 

Sem sintomas

A Organização Mundial da Saúde afirma que o tempo em que o vírus fica encubado (sem sintomas) pode variar entre 1 e 14 dias. Com isso, muitas pessoas que adoeceram em outros países podem ter viajado sem saber que estavam infectadas. 

Além disso, cientistas investigam a possibilidade de que o vírus seja transmitido antes mesmo que as pessoas apresentem sintomas. 

Arte/R7