Saiba o que fazer se precisar de um médico em meio à pandemia

Quem não estão com covid-19, mas precisa de um atendimento pode buscar outras alternativas antes de ir até o pronto socorro de um hospital

Saiba quais as opções caso você precise de atendimento médico

Saiba quais as opções caso você precise de atendimento médico

Divulgação

Dos efeitos psicológicos decorrentes da pandemia, o medo de se expor ao coronavírus tem levado muitas pessoas a evitar hospitais mesmo quando necessário. Não é por acaso que, em cidades como Nova York, houve um aumento de 800% na taxa de mortes por parada cardíaca dentro de casa, segundo uma pesquisa do site Angioplasty.Org.

Segundo Natan Chehter, médico geriatra do Hospital Beneficência Portuguesa, o medo tem levado pacientes a comportamentos extremos. “Antigamente, a pessoa não refletia se o sintoma era grave o suficiente para uma ida ao pronto socorro. Agora, por conta do medo da covid-19, evitam a emergência mesmo quando existe indicação.”

Leia também: idosos convivem com medo, ansiedade e solidão

Para desafogar o sistema de saúde e evitar a formação de aglomerações na atual pandemia, o Conselho Federal de Medicina aprovou o atendimento via telemedicina, a qual também permite a prescrição de receitas online. 

Saiba a seguir quais são as alternativas antes de tomar a decisão de ir até o pronto socorro de um hospital.

Entre em contato com seu médico de confiança

Se você tiver um profissional com o qual se consulta há bastante tempo, mantenha-o informado de quaisquer sintomas, especialmente se já houver um histórico de comorbidade. De acordo com Chehter, o distanciamento na relação entre médico e paciente é um dos fatores que contribuem com a demora para se consultar.

“Em geral, as pessoas não conhecem seus médicos. É muito comum marcar a consulta pelo livrinho do convênio. Por outro lado, o médico que já conhece o histórico do paciente do outro lado da linha terá mais facilidade de orientar. No caso dos idosos, o acompanhamento é ainda mais importante, já que o medo de ir ao Pronto Socorro é fundamentado por se tratar de grupo de risco.”

Procure especialistas via aplicativos de saúde 

A popularidade dos aplicativos de consultas médicas vem aumentando com a quarentena. Pelo celular é possível fazer desde o agendamentos até a própria consulta pela câmera do aparelho.

Segundo Laura Gusman, gestora de telemedicina da plataforma Clude, essa modalidade facilita o acesso à saúde para pacientes em áreas remotas, com dificuldade de locomoção ou simplimente que preferem evitar o pronto socorro.

“Hoje, cerca de 80% da população tem um smartphone. Observamos um aumento na busca pela telemedicina exatamente por pacientes que precisam de atendimento básico e têm receio de procurar a emergência por receio de contaminação”, diz Laura

Procure a UBS mais próxima

Se você pertence a taxa de 25,3% da população que, de acordo com o IBGE, não possui acesso à internet ou não tem como contatar um médico de confiança, a alternativa é se dirigir à Unidade Básica de Saúde mais próxima.

“Como estamos em uma infecção comunitária, o riso é maior”, pondera a médica generalista Jamile São Thiago, que atua no distrito de Itapuã, na Bahia. Segundo ela, as unidades estão recebendo casos de síndromes gripais leves e emergências como sintomas de dengue ou dores na coluna.