São Paulo tem 16 mil testes de coronavírus represados

Secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, afirmou ainda que 201 óbitos estão sob investigação; resultados devem sair até amanhã

Capacidade será aumentada nos próximos dias

Capacidade será aumentada nos próximos dias

Joédson Alves/EFE

Chega a 16 mil a quantidade de testes de covid-19 aguardando processamento nos laboratórios da rede pública de São Paulo, segundo números apresentados pelo secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, nesta quarta-feira (1º).

O secretário afirmou ainda que, destes, 201 exames são de pessoas que já morreram com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. "Em relação a esses óbitos, estes exames serão processados no dia de hoje. Amanhã, eles estarão já determinados, afirmou.

Na segunda-feira (30), eram 12 mil testes em todo o estado que ainda não haviam sido processados.

"O Adolfo Lutz, laboratório central, tem uma capacidade de [analisar] 1.200 amostras por dia. Tivemos, nas duas últimas semanas, um problema relacionado a insumos para o processamento dos exames, tanto que acabamos por alterar, de um processamento que era feito deu ma forma manual e agora está sendo feito de uma forma automatizada", explicou o secretário. 

O governo de São Paulo está importando dos Estados Unidos 60 mil kits de testes para diagnóstico de covid-19.

Os primeiros 20 mil devem chegar até o fim de semana e os demais em 15 dias, quando, então, o estado prevê que terá capacidade para testar até 8.000 amostras por dia nos laboratórios da rede pública.