Novo Coronavírus

Saúde Saúde define distribuição de mais 2,5 milhões de doses da CoronaVac

Saúde define distribuição de mais 2,5 milhões de doses da CoronaVac

Lote é destinado a trabalhadores de saúde, indígenas do Amazonas e idosos entre 80 a 84 anos; entregas ocorrerão nesta quarta

  • Saúde | Do R7

A CoronaVac foi a primeira vacina aplicada no país contra a covid-19

A CoronaVac foi a primeira vacina aplicada no país contra a covid-19

Sebastião Moreira/EFE - 21.01.2021

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (3) que vai definir a distribuição de mais 2,5 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra a covid-19 produzida no país pelo Instituto Butantan, em São Paulo. 

Segundo a pasta, o envio do imunizante aos estados e Distrito Federal será realizado de forma "proporcional e igualitária". A previsão é que as entregas sejam realizadas ainda nesta quarta-feira (3).

O Ministério informa que esse novo lote é destinado à vacinação de trabalhadores de saúde, indígenas do Amazonas e idosos entre 80 a 84 anos. 

A remessa corresponde a duas doses da vacina, de acordo com o Informe Técnico da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), sendo necessário que estados e municípios façam a reserva da segunda dose para garantir que o esquema vacinal seja completo. O intervalo entre as doses é de 28 dias. 

"Mais regiões estão sendo contempladas com o Fundo Estratégico, que destina 5% do total de doses para estados de acordo com o cenário epidemiológico local", afirmou a ministério, por meio de nota. A medida está em vigor para estados da região Norte.

Nessa nova remessa, 127.641 mil doses foram divididas entre o Amazonas (30%), Pará (10%),
Rondônia (5%), Roraima (5%), Ceará (10%), Paraíba (5%), Sergipe (5%), Paraná (10%), Santa
Catarina (10%) e Goiás (10%).

O objetivo, segundo a pasta, é ampliar a vacinação no grupos de idosos, que contam com 60.781 pessoas no total.

Com esse novo lote, o Ministério da Saúde afirma que o número de doses distribuídas chegará 17 milhões desde o início da campanha nacional de vacinação, em 18 de janeiro. Mais de 7,5 milhões de doses já foram aplicadas, ainda segundo a pasta.

A previsão é que mais de 200 milhões de doses sejam distribuídas até julho, imunizando assim "50% da população brasileira vacinável", de acordo com a nota divulgada pelo ministério.

Ainda neste mês, a pasta espera receber 5,8 milhões da vacina de Oxford da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro, sendo 3,8 milhões produzidas pela própria fundação e 2 milhões importadas da Índia. O país também deve receber mais doses por meio do consórcio Covax Facility.

Além disso, o Ministério da Saúde assinou o contrato com o laboratório Precisa
Medicamentos/Bharat Biotech, responsáveis pela vacina indiana Covaxin, para a compra de 20 milhões de doses, sendo que 8 milhões já devem estar à disposição da pasta em março.

Últimas