SP: Fim da campanha de vacinação da gripe é antecipado para hoje

Vacinação da gripe na capital estava prevista até segunda-feira (31), mas fim do estoque levou à antecipação; campanha de sarampo foi prorrogada

A vacina contra o sarampo é para a vida toda, já a da gripe precisa ser tomada todo ano

A vacina contra o sarampo é para a vida toda, já a da gripe precisa ser tomada todo ano

Divulgação / Erasmo Salomão Ministério da Saúde

A campanha de vacinação contra a gripe, prevista para terminar na cidade de São Paulo na segunda-feira (31), foi antecipada para esta sexta-feira (28) devido ao fim de estoque de vacinas. Já a campanha de vacinação contra o sarampo, doença que passa por surto no país, que encerraria na mesma data, foi prorrogada até 31 de outubro, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. 

Nesta sexta-feira ainda há um número reduzido de vacinas, mas algumas UBS (Unidades Básicas de Saúde) já não dispõem mais do imunizante, de acordo com a pasta.

A vacina trivalente, que oferece proteção contra os vírus da gripe H1N1, influenza A (H3N2) e influenza B, está disponível somente no período da campanha. Já a vacina tríplice viral, que engloba proteção contra sarampo, caxumba e rubéola, fica disponível nos postos de saúde durante o ano todo, não apenas durante a campanha. 

Não há restrição para a vacinação. Todas as pessoas a partir de 6 meses podem tomar ambos imunizantes, inclusive na mesma ocasião, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Como a vacina da gripe é feita com vírus inativado e a do sarampo, atenuado, não há interferência entre elas na resposta imunológica, segundo a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Diferentemente da vacina do sarampo, a da gripe não é para toda vida; precisa ser tomada todo ano.

Leia também: 'Novo normal' será mesmo a partir de setembro, como previsto?

Devido ao surto de sarampo, é recomendada a dose zero da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), aplicada entre os 6 e 11 meses de idade. Além dessa dose, faz parte do Calendário Nacional de Vacinação, duas doses, sendo a primeira aos 12 meses e a segunda, aos 15 meses (no caso, a vacina tetraviral contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

Quem tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina. Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente. Já para quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra e tem entre 1 a 29 anos, são necessárias duas doses, e de 30 a 59 anos, apenas uma dose, segundo dados do Ministério da Saúde.

Já a vacina contra a gripe é indicada a partir dos 6 meses de idade - em bebês que tomam pela primeira vez, são necessárias duas doses, sendo a segunda 30 dias após a primeira.

Para tomar a vacina, é necessário levar apenas o RG, mas a Secretaria Municipal de Saúde recomenda que quem tiver deve levar também o cartão do SUS e a carteira vacinal. As vacinas que estiverem atrasadas também poderão ser aplicadas.