Treze horas de cuidado e afeto: Como uma cabeleireira devolveu o sorriso a uma jovem com depressão

A estudante de 16 anos chegou ao salão Capri querendo raspar o cabelo

A menina tinha uma sessão de fotos com a turma da escola marcada para os próximos dias
A menina tinha uma sessão de fotos com a turma da escola marcada para os próximos dias KAYLEY OLSSON/CAPRI COLLEGE

Sem planejar, a aprendiz de cabeleireiro Kayley Olsson, de Waterloo, no estado americano de Iowa, deu uma terapia de mais de 13 horas em uma adolescente que levava anos sofrendo de depressão crônica.

Na terça-feira, a estudante de 16 anos entrou no salão Capri, em que Kayley trabalha, pedindo-lhe que lhe raspasse de vez o cabelo emaranhado e descuidado.

O cabelo ia até a cintura da jovem. Mas ela disse à cabeleireira que vinha se sentindo "tão para baixo e sem valor" que não tinha sequer forças para se pentear. Apenas se levantava para ir ao banheiro.

Metade dos adultos com ansiedade ou depressão em São Paulo apresenta dor crônica

A menina tinha uma sessão de fotos com a turma da escola marcada para os próximos dias. Mas, diante do terrível estado do cabelo, se dava conta de que não teria energia suficiente para arrumá-lo.

Kayley e sua colega Mariah Wenger, porém, entenderam que atender ao pedido da cliente seria fazer a coisa errada naquele caso.

"Cortar o cabelo dela absolutamente não era opção para mim", disse Kayley à BBC. "Eu sabia naquele momento que precisávamos preservar o cabelo dela o mais que podíamos."

Kayley relatou o caso em um post no Facebook que, desde então, já foi compartilhado quase 70 mil vezes.

Meticulosamente, as duas mulheres desembaraçaram e pentearam o cabelo da estudante durante mais de 13 horas, ao longo de dois dias.

Mais que um tratamento estético, foi também uma terapia para a auto-estima da menina.

Amar reduz estresse, ansiedade e até depressão. Veja os benefícios de se estar apaixonado

"Foram muitas palavras de encorajamento, de conforto e muita conversa para elevar sua auto-estima e distraí-la do grande esforço que foi desembaraçar o seu cabelo", disse Mariah, que também tem 25 anos e é mãe de duas filhas.

"Pude me relacionar de maneira muito forte com os problemas mentais dela, com a luta diária deles, por causa das minhas dificuldades com depressão e ansiedades pós-parto."

"Eu sabia como é sentir que não se vale nada. Uma criança nunca deveria se sentir assim."

Depois de desembaraçar o cabelo da estudante até pouco abaixo do ombro, Kayley e Mariah fizeram o corte e aplicaram tratamentos de beleza.

"Depois de ficar aqui durante 8 horas ontem e 5 horas hoje, finalmente fizemos essa linda menina sorrir, e sentir que ela TEM valor", escreveu Kayley na rede social.

"Suas últimas palavras para mim foram: 'Vou sorrir para minhas fotos de escola de verdade. Vocês me fizeram sentir como eu mesma de novo.'"

Depressão é a maior causa de doenças e invalidez no mundo, alerta OMS

A aprendiz diz que ambas choraram de alegria. "Todas merecemos ser bonitas", disse.

Seu post foi comentado por millhares de pessoas. Em muitos comentários, internautas relataram seus próprios problemas com a depressão e lembraram a adolescente de que ela não está só.

Diversos outros comentários elogiaram Kayley e Mariah, cujo carinho ajudou a aliviar a depressão da uma estranha - ainda que não resolva totalmente as causas dele.

"Você é incrível por reconhecer que este é um problema de saúde mental", afirmou uma internauta. "E também por devolver-lhe o seu senso de dignidade."