Saúde Um milhão contrai DSTs por dia. Falta de preservativo é motivo

Um milhão contrai DSTs por dia. Falta de preservativo é motivo

Dado foi divulgado pela OMS nesta quinta-feira (6); maior crescimento do HIV se dá entre homens entre 15 e 39 anos, umas das principais DSTs do país

1 milhão de DST's são contraídas diariamente no mundo, diz OMS

Não usar preservativo leva ao risco de doenças sexualmente transmissíveis

Não usar preservativo leva ao risco de doenças sexualmente transmissíveis

Pixabay

Um milhão de pessoas contrai DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) por dia no mundo, segundo boletim divulgado nesta quinta-feira (6) pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Estima-se que das 357 milhões de novas infecções sejam por uma dessas doenças: clamídia, sífilis, gonorreia e tricmoníase.

Segundo o ginecologista Cesar Fernandes, presidente da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), as principais DSTs em circulação no Brasil são o HIV, hepatite C, clamídia, sífilis, gonorreia, candidíase e tricmoníase.

Leia também: Doenças sexualmente transmissíveis: as 4 enfermidades que preocupam os especialistas

A faixa etária de15 e 39 anos é a que o HIV mais avança no Brasil, principalmente entre homens. Cerca de 73% dos homens infectados estão dentro dessa faixa etária. A taxa de incidência é de 52 para cada 100 mil habitantes, segundo o Ministério da Saúde. 

"A maior causa de essas doenças circularem tanto é a falta de utilização de preservativos, principalmente entre os jovens. Eles pensam que isso nunca vai acontecer com eles, que isso só acontece com os outros. E a falta do uso de camisinha não é nem por falta de acesso à proteção, porque o sistema de saúde distribui camisinhas gratuitamente", afirma o médico.

Saiba mais: Quase 10 milhões de pessoas ainda não sabem que têm o vírus HIV

Outra estatística divulgada pela OMS é quanto às infecções por HPV (Vírus do papiloma humano). Segundo a organização, estima-se que cerca de 290 milhões de mulheres estejam infectadas pelo HPV. Fernandes afirma que, além da camisinha, a transmissão desse vírus pode ser evitada por meio da vacinação, eferecida pelo SUS.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o vírus do HPV está associado a infecções causadoras de cânceres, sendo o principal o câncer de colo de útero. O órgão estima que, em 2019, 16 mil novos casos de câncer de colo uterino sejam identificados. Cânceres de vagina, vulva, pênis, ânus, ororfaringe e boca também estariam associados a infecções pelo vírus. 

Veja também: Tempo de vida de pessoas com HIV mais que dobra no Brasil

"A maioria dessas doenças pode ser tratada garatuitamente pelo SUS e tem boa evolução. Doenças como a clamídia e a gonorreia, se não tratadas, podem causar infertilidade tanto em homens como em mulheres, e é importante que o tratamento não seja unicamente do infectado, mas do casal", finaliza o ginecologista.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Grávidas com HIV podem ter bebês saudáveis. Saiba mais sobre a Aids: