Novo Coronavírus

Saúde Uma dose de Oxford ou Pfizer reduz transmissão familiar em até 49%

Uma dose de Oxford ou Pfizer reduz transmissão familiar em até 49%

Pesquisa mostra que pessoas infectadas 3 semanas após tomarem 1ª dose têm menos chances de transmitir para não-vacinados

  • Saúde | Da EFE, com R7

Resumindo a Notícia

  • Dose da vacina de Oxford ou da Pfizer diminui à metade risco de transmitir covid-19 em casa
  • Estudo indica que, 14 dias após a aplicação, todas as pessoas já tinham proteção contra doença
  • Cientistas, porém, destacam a importância de manter distanciamento e medidas de higiene
  • Brasil usa vacina de Oxford e comprou 100 mi de doses da Pfizer, que ainda não chegaram
1ª dose de Oxford ou Pfizer aumenta proteção de pessoas próximas aos vacinados

1ª dose de Oxford ou Pfizer aumenta proteção de pessoas próximas aos vacinados

GEORGI LICOVSKI/EFE/EPA - 28.4.2021

Uma única dose da vacina de Oxford/AstraZeneca ou da Pfizer reduz quase pela metade a transmissão do SARS-CoV-2, o vírus causador da covid-19, no ambiente familiar. É o que mostra estudo divulgado nesta quarta-feira (28), pela agência governamental PHE (Public Health England ou Inglaterra Saúde Pública, na tradução livre), organização consultiva e de apoio do Ministério da Saúde do Reino Unido.

A pesquisa indica que pessoas infectadas três semanas após receberem a primeira dose de um dos dois imunizantes tinham entre 38% e 49% menos chances de transmitir a doença às pessoas de seu ambiente, que não haviam sido vacinadas. 

O ensaio também observou que, 14 dias depois da aplicação da primeira dose de Oxford ou Pfizer, o indivíduo já apresentava proteção contra a covid-19 em todas as idades. 

"As vacinas são vitais para voltar a uma vida normal. Elas não só reduzem a gravidade da doença e previnem centenas de mortes todos os dias, como vemos, agora, que também têm o impacto de reduzir as chances de transmitir a covid-19 para outros", disse Mary Ramsay, chefe da área de imunização da agência.

Ramsay acrescentou que, embora sejam dados encorajadores, é importante as pessoas infectadas agirem como se não tivessem sido vacinadas, mantendo as medidas de higiene e o distanciamento social.

O Ministério da Saúde do Reino Unido ressaltou que os domicílios são lugares de alto risco de contágio, por isso este estudo fornece evidências sobre o impacto das vacinas na redução da transmissão familiar.

No Reino Unido, o plano de imunização usa os imunizantes Pfizer, Oxford e Moderna. Quase 34 milhões de pessoas já receberam a primeira das duas doses da vacina.

Situação do Brasil

O Brasil possui duas vacinas com uso emergencial autorizado pela Anvisa - a CoronaVac, fabricada pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e o fármaco de Oxford, feito pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) ao lado do laboratório britânico AstraZeneca. São esses dois imunizantes que chegam aos braços dos brasileiros desde janeiro.

O governo também já encomendou 100 milhões da Pfizer e o primeiro lote com 1 milhão da unidades deverá chegar nesta quinta-feira (29) ao Brasil. São necessárias duas doses desse imunizante para garantir a proteção.

Também foram adquiridas 38 milhões de doses da vacina da Johnson, que requer apenas uma aplicação para garantir a imunização do indivíduo.

Últimas