Novo Coronavírus

Saúde Universidade de Oxford vai retomar testes de vacina contra covid-19

Universidade de Oxford vai retomar testes de vacina contra covid-19

Ensaios clínicos foram interrompidos após suspeita de grave reação adversa em voluntária do Reino Unido

  • Saúde | Brenda Marques, do R7

A Universidade de Oxford, informou neste sábado (12) que vai retomar os ensaios clínicos da vacina contra covid-19 em todos os locais de testes do Reino Unido. Os estudos foram interrompidos no domingo (6) após uma voluntária do país europeu sofrer uma grave reação adversa.

Universidade de Oxford vai retomar testes da vacina contra covid-19

Universidade de Oxford vai retomar testes da vacina contra covid-19

Dado Ruvic/Illustration/Reuters - 09.09.2020

A farmacêutica Astrazeneca, que desenvolveu a vacina em parceria com a universidade, informou que a pausa é “uma ação de rotina que deve acontecer sempre que houver uma doença potencialmente inexplicada em um dos testes, enquanto ela é investigada, garantindo a manutenção da integridade dos testes”.

Leia também: Estudo de vacina da Oxford é paralisado após reações adversas

A retomada no Reino Unido foi autorizada após a conclusão de análise feita por um comitê independente de revisão e seguindo recomendações de segurança da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde (MHRA, na sigla em inglês), o órgão regulador do Reino Unido.

Em todo o mundo, cerca de 18 mil voluntários que participam da fase 3 dos testes  - a última antes de uma possível aprovação para comercialização - já receberam doses da vacina.

A Unifesp (Universidade de São Paulo), que coordena os testes da vacina no Brasil, informou, por meio de nota, que o estudo também deve ter continuidade após a liberação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e do Conep (Comitê Nacional de Ética e Pesquisa). 

A instituição já havia explicado que a pausa não afetou os voluntários que já tinham recebido doses da vacina. "Até o momento, 4.600 voluntários já foram recrutados e vacinados, sem qualquer registro de intercorrências graves de saúde", diz o texto.

A Anvisa recebeu, na tarde deste sábado (12), da empresa AstraZeneca, as informações necessárias para decidir se os testes do potencial imunizante contra a covid-19 podem ser retomados no país.

Últimas