Coronavírus

Saúde Vacina da Inovio aplicada com 'pistola' será testada no Brasil

Vacina da Inovio aplicada com 'pistola' será testada no Brasil

Imunizante desenvolvido por empresa dos EUA com tecnologia de DNA está na terceira fase dos ensaios clínicos em humanos

Dispositivo para aplicação de vacina da Inovio

Dispositivo para aplicação de vacina da Inovio

Divulgação

A empresa norte-americana de biotecnologia Inovio recebeu nesta quarta-feira (25) autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para realizar ensaios clínicos em humanos da vacina contra covid-19 desenvolvida por ela.

Trata-se de um imunizante que tem aplicação intradérmica — os que estão em uso hoje são intramusculares.

A tecnologia também é diferente de outras vacinas já aprovadas, utiliza a plataforma de DNA. "No local de aplicação da vacina será utilizada uma técnica de facilitação para entrada do DNA no tecido celular (eletroporação) com um dispositivo próprio", explica a nota da Anvisa.

A companhia vai recrutar 350 voluntários em SP, RJ, SC e RS. Metade deles receberá a vacina, com duas doses em um intervalo de 28 dias. A outra parte receberá o mesmo esquema de injeções, mas com placebo (substância sem efeito). Nenhum dos voluntários saberá em qual grupo está.

O estudo é de fase 3, ou seja, pré-submissão de registro ou uso emergencial. A condução do trabalho no Brasil facilita caso o laboratório deseje utilizar a vacina no país.

A Inovio está recrutando ao todo 7.166 pessoas, além do Brasil, na Argentina, Colômbia, Estados Unidos, Filipinas, México, Peru, Polônia, República Checa e Tailândia.

Os estudos de fase 1 e 2 foram feitos nos EUA, Coreia do Sul e China.

Últimas