Saúde Vacina da Janssen pode ser usada como dose de reforço, diz EMA

Vacina da Janssen pode ser usada como dose de reforço, diz EMA

Agência Europeia de Medicamentos afirmou que o reforço do imunizante pode ser aplicado após dois meses da 1ª dose

AFP
  • Saúde | por AFP

Vacina da Janssen pode ser usada como dose de reforço

Vacina da Janssen pode ser usada como dose de reforço

Alejandro Zepeda/EFE

A EMA (Agência Europeia de Medicamentos) afirmou nesta quarta-feira (15) que a vacina anti-Covid da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, pode ser utilizada como dose de reforço, respeitado o prazo de dois meses após a primeira dose, nas pessoas com mais de 18 anos.

"A recomendação acontece depois de dados que mostram que uma dose de reforço da vacina anti-Covid da Janssen administrada pelo menos dois meses após a primeira dose nos adultos provocou um aumento dos anticorpos contra o Sars-CoV-2", afirmou a EMA em um comunicado.

"O risco de trombose associada com uma trombocitopenia ou outros efeitos indesejáveis muito raros após um reforço não é conhecido e é objeto de um acompanhamento atento", explicou a EMA.

Esse é o terceiro fármaco, depois das vacinas da Pfizer/BioNTech e da Moderna, a receber aprovação da UE como dose de reforço para adultos.

O Comitê de Medicamentos de Uso Humano da EMA também concluiu que a vacina da Johnson & Johnson pode ser administrada como reforço após uma das duas vacinas de RNA mensageiro autorizadas pela UE (Pfizer e Moderna).

As autoridades de saúde europeias atestam que a administração de uma dose de reforço de um fármaco diferente do recebido inicialmente gera, em alguns casos, uma resposta imunológica mais forte.

Até o momento a EMA aprovou quatro vacinas para adultos na UE: as de RNA mensageiro da Pfizer e Moderna e as de vetor viral da AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Últimas