Novo Coronavírus

Saúde Vacina da Moderna garante ao menos 3 meses de imunidade

Vacina da Moderna garante ao menos 3 meses de imunidade

Estudo independente do Instituto Nacional de Saúde, na Inglaterra, não mostrou efeitos colaterais graves nos testes clínicos

  • Saúde | Da Ansa

A vacina da Moderna contra a covid-19 é feita com RNA mensageiro

A vacina da Moderna contra a covid-19 é feita com RNA mensageiro

CJ Gunther/EPA/EFE

A vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvida pelo laboratório norte-americano Moderna garante ao menos três meses de imunidade após a segunda dose, informa um estudo divulgado na noite desta quinta-feira (3) pelo New England Journal of Medicine.

Os pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde (NIH, na sigla em inglês) testaram o nível de dois anticorpos depois de 90 dias e constataram uma queda "leve" e prevista nos 34 participantes do teste, mas em um nível que ficou ainda alto e acima da imunidade natural observada em pacientes curados da Covid-19.

Leia também: Médica choca o mundo com informações falsas sobre a covid-19

Certamente, a duração da proteção é mais longa dos que os três meses, mas essa é a primeira vez que um estudo independente determina o tempo de eficácia da vacina da Moderna. Os participantes ainda serão acompanhados pelos pesquisadores por mais 13 meses para testar a imunidade a longo prazo.

Outra boa notícia é que não foram registradas reações adversas graves nos participantes na fase 1, que começou em março desse ano.

Apesar de estudos das farmacêuticas e laboratórios que produzem imunizantes contra o novo coronavírus darem estimativas de quando durará a imunidade, ainda não se sabe qual será o tempo de "memória" de defesa do corpo - se como a gripe comum, que exige vacinação anual, ou se por um período de tempo maior.

A vacina da Moderna, chamada de mRNA-1273, usa uma tecnologia inovadora com o RNA mensageiro, uma espécie de "código" para as células para do corpo produzirem uma resposta imunológica contra o Sars-CoV-2.

Últimas