Gripe
Saúde Vacinação contra gripe começa 10 de abril, 15 dias mais cedo que 2018

Vacinação contra gripe começa 10 de abril, 15 dias mais cedo que 2018

Até dia 22 de abril, vacinação será oferecida só a crianças de 1 a 6 anos, grávidas e puérperas; a partir dessa data, amplia-se a todo público-alvo

Vacinação contra gripe inicia 15 dias mais cedo este ano, em 10 de abril

Crianças de 1 a 6 anos poderão ser vacinadas em todo o país a partir de 10 de abril

Crianças de 1 a 6 anos poderão ser vacinadas em todo o país a partir de 10 de abril

Agência Brasil

A campanha nacional de vacinação contra a gripe começará em 10 de abril, 15 dias mais cedo que nos anos anteriores, segundo o Ministério da Saúde. O final da campanha está previsto para 31 de maio e o dia D, para 4 de maio.

O motivo da antecipação, segundo o Ministério, está relacionado ao fato de a pasta já disponibilizar dos imunizantes.

Apenas o Amazonas registra surto de gripe, onde a campanha já iniciou nesta segunda-feira (18). Até o momento são 586 casos de gripe no Estado, sendo 26 mortes por H1N1, segundo a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas.

Leia também: ‘Gripe parece bobagem, mas mata 900 por ano no país’, diz especialista

Ainda não há dados nacionais sobre casos e mortes em decorrência da gripe neste ano, de acordo com o Ministério.

Na primeira etapa da campanha nacional, que vai até 22 de abril, a vacinação será oferecida apenas para crianças de 1 a 6 anos, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), mais propensas a desenvolver complicações pelo vírus H1N1. 

A partir dessa data, todo o público-alvo da campanha poderá se vacinar, que inclui trabalhadores de saúde, indígenas, idosos, professores e pessoas com comorbidades, além de funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

A pasta divulgou como recomendação de medidas de proteção contra a gripe, além da vacina, a constante lavagem das mãos e a "adoção da etiqueta respiratória", que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir para reduzir a disseminação do vírus.

Leia também: OMS prevê epidemia global de gripe e lança estratégia de prevenção

Mais de 1 milhão de vacinas foram encaminhadas pelo Ministério ao Amazonas, conforme anunciou a pasta na sexta-feira (15).

As vacinas disponibilizadas na rede pública são produzidas pelo Instituto Butantan, em São Paulo. As cepas que são utilizadas na vacina no hemisfério Sul são determindas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em setembro do ano anterior. O imunizante contra a gripe protege contra três tipos de vírus predominantes no Brasil: influenza A (H1N1e H3N2) e um tipo de influenza B.

Saiba mais: Entenda a diferença entre gripe e resfriado

O vírus H1N1 se mantém importante no país, dividindo a prevalência com o H3N2, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

No ano passado, foram registradas 1.381 mortes no Brasil em decorrência da gripe, sendo 55% de pessoas acima de 60 anos, faixa etária dentro do grupo com direito à vacina da gripe pelo SUS, segundo o Ministério.

Como saber se está com H1N1? Tire as dúvidas sobre esse vírus da gripe: