Saúde Vacinação da gripe é estendida até o dia 15

Vacinação da gripe é estendida até o dia 15

Campanha de imunização pretende atingir 90% da meta dos grupos de risco. Gestantes e crianças estão entre menor percentual de cobertura

Gestantes e crianças foram os que menos aderiram a vacinação da gripe

Pouco mais de 60% do público-alvo foi vacinado contra a gripe

Pouco mais de 60% do público-alvo foi vacinado contra a gripe

Venilton Küchler

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS) informou nesta quinta-feira (7), que gestantes e crianças entre seis meses e cinco anos estão entre o menor percentual de cobertura da vacina da gripe dentro do grupo de prioridade, definido pelo Ministério da Saúde. A campanha, iniciada em 23 de abril, foi estendida até o próximo sábado (15).

Foram imunizadas 40,4% das crianças de seis meses a cinco anos e 39,8% das gestantes.

De acordo com a Secretaria, até a quarta-feira (6), foram vacinadas pouco mais de dois milhões de pessoas, que corresponde a 62,5% da meta de 90% de imunizações contra o vírus Influenza.

Leia também: SAÚDE Gripe: vacina quadrivalente deve substituir trivalente no futuro 

Entre os grupos prioritários, a maior adesão foi da população indígena (105%), seguida por idosos acima de 60 anos (75,9%), mulheres com até 45 dias após o parto (65,4%), profissionais de saúde (61,3%), e doentes crônicos (51,1%).

Para receber a vacina, que protege contra três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B), é necessário levar documento de identificação, carteira do SUS e, se possível, carteira de vacinação. Doentes crônicos precisam levar o receituário médico com data dos últimos seis meses, e profissionais de saúde e da educação devem levar o holerite ou crachá de identificação.

Leia também: Gripe: 214 morreram por causa do vírus influenza este ano no Brasil

A vacina contra o vírus Influenza está disponível em todas as unidades de saúde para os grupos de prioridade, que apresentam maior vulnerabilidade de desenvolvimento de quadros graves de doenças respiratórias.

Foram confirmadas até o último dia 29, na cidade de São Paulo, 212 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) pelo vírus Influenza, sendo 85 pela H1N1, 26 para influenza A H3 Sazonal, 71 para influenza A não subtipado, e 30 para influenza B. Até esta terça-feira (5), ao menos 14 dos casos de SRAG levaram os pacientes à morte.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini