Novo Coronavírus

Saúde Veja os cuidados para quem precisa sair neste momento crítico

Veja os cuidados para quem precisa sair neste momento crítico

Profissionais das atividades essenciais precisam prestar ainda mais atenção com distanciamento e higienização no transporte público

  • Saúde | Carla Canteras, do R7

Prefeituras antecipam feriados para evitar aglomeração como da quinta (25) em SP

Prefeituras antecipam feriados para evitar aglomeração como da quinta (25) em SP

BRUNO ESCOLASTICO/ESTADÃO CONTEÚDO - 25.3.2021

Estados e municípios brasileiros endureceram as medidas de restrição com o aumento da transmissão da covid-19. Ne sexta-feira (26), por exemplo, as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro optaram, como medida sanitária, decretar feriado nos próximos dez dias. Porém, muitos profissionais precisam sair para manter os serviços essenciais funcionando. Como esses trabalhadores podem fazer para não se contaminarem com o Sars-CoV-2?

De acordo com o infectologista Leon Capovilla, do Hospital Moriah de São Paulo, mesmo com a necessidade de usar os transportes públicos, é importante seguir as regras de distanciamento. “As pessoas precisam tentar manter o distanciamento de 1m, 1,5 m. O ideal é esperar ônibus ou trem mais vazios. Sabemos que nesse período pode ter menos transporte. Mas a escolha é individual. O ideal é esperar para diminuir o risco de pegar covid”, afirma.

Ele também indica os melhores lugares para viajar no transporte público. “A pessoa tem de usar a máscara, com certeza. Se houver alguém sem, não fique perto e vá para o outro lado. O mais indicado é se posicionar perto das janelas, que devem estar abertas para a circulação de ar”, diz Capovilla.

Alguns profissionais têm a possibilidade de ir ao trabalho em carro de aplicativos ou táxi. O infectologista lembra que também é necessário atenção com a prevenção. “A opção de ir com carro de aplicativo é mais segura, com certeza, já que é menos gente dentro do veículo. Mas entendemos que o custo pode ficar muito alto. O uso de máscara dos passageiros e motorista é fundamental”, explica o especialista.

Ele também fala como deve ser a postura das pessoas dentro dos carros: “Alguém infectado pode ter andado no carro antes de você e o ambiente pode estar contaminado. Então, não fique mexendo nas coisas do carro e, se precisar levar a mão ao rosto, é importante lavar ou passa álcool antes”, ressalta Capovilla.

Muitas pessoas escolhem usar duas máscaras nos transportes públicos e o infectologista não vê problema. “Pode usar duas. Use a descartável simples embaixo e uma de pano em cima. Não tem problema e você estará bem protegido”, conta ele.

Sobre a necessidade de trocar a proteção, Capovilla conta que varia do tipo de máscara usada. “Se a pessoa está usando aquelas máscaras cirúrgicas e se estiver limpa e seca, ela dura até quatro horas. Se for a de tecido, a pessoa pode usar até um dia, desde que não esteja suja, molhada. Importante manusear com a mão limpa e guardar do jeito certo, para que não fique contaminada”, afirma ele.

Outra dúvida frequente é se precisar usar a roupa apenas no transporte público. O médico explica que a higienização completa deve ser na volta para casa. “Quando está no trabalho, não precisa ter uma roupa só para o trabalho. Pode usar a mesma, já que a pessoa estará de máscara e fará a higienização das mãos. Quando chegar em casa, tire toda roupa, coloque para lavar e deixe os sapatos separados, já que existe a chance de infecção, e tome banho”, explica Capovilla.

Não é ideal deixar os sapatos na porta de casa, como virou comum na pandemia. O Corpo de Bombeiros lembra que a porta dos apartamentos e casas servem como rotas de fuga e não podem estar obstruídas.

Últimas