Videoaulas, conversa, alimentos...A ajuda para 16 mil idosos confinados 

Programa social Calebe ampara maiores de 60 anos que estão sozinhos em quarentena, em casa ou em asilos 

Voluntário do Calebe entrega cesta básica para idosa em isolamento

Voluntário do Calebe entrega cesta básica para idosa em isolamento

Divulgação

Principais vítimas da Covid-19, os maiores de 60 anos precisam se manter em confinamento rigoroso para evitar o contágio da doença. Para auxiliar as pessoas dessa faixa etária, principalmente aquelas que moram sozinhas, o programa social Calebe está monitorando e apoiando idosos em todo o Brasil. Apenas neste mês de março, foram 16.255 pessoas acompanhadas pelos voluntários do grupo, que é mantido pela Igreja Universal do Reino de Deus.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que o país tem 4,3 milhões de idosos morando sozinhos. Além de pertencerem ao grupo de risco, as pessoas dessa faixa etária estão enfrentando sérias dificuldades para realizar tarefas cotidianas, a partir da quarentena imposta em estados e municípios.

Por meio de telefonemas e mensagens, o Calebe mantém o contato com os amparados pela ação social. Se necessário, os voluntários prestam auxílio naquelas necessidades mais urgentes, como, por exemplo, uma ajuda para ir o ao médico, ou em tarefas que o confinamento impede de realizar.

O Calebe também proporciona videoaulas de artesanato, violão e ginástica para que os maiores de 60 anos se mantenham ativos e motivados, mesmo com o impedimento de sair de casa. O programa social oferece ainda vídeos com orientações de nutricionistas e fisioterapeutas, para que possam manter a saúde física e mental.

Os voluntários do Calebe estão especialmente empenhados em localizar e identificar os idosos que moram sozinhos e estão passando necessidade.

Esta semana, por exemplo, a Universal identificou uma manicure, de 71 anos de idade, que estava há dois dias sem comer em razão do confinamento que a impossibilita de trabalhar. Ela foi amparada por voluntários da Universal que entregaram cesta básica e passaram a acompanhar as necessidades dela.

Nas últimas semanas, muitos idosos foram encontrados mortos em suas casas, sozinhos, na Itália e na Espanha, vitimados pelo coronavírus e pelo abandono da família.

Ajuda além da companhia
Com o confinamento, muitas pessoas com mais de 60 anos perderam a condição financeira e não conseguem se manter.

Desde o início da quarentena, os voluntários do Calebe já distribuíram 1.815 cestas básicas, além de remédios, fraldas geriátricas, kits de higiene pessoal e roupas.

Antônio Santana, responsável pelo Calebe, destaca a importância da comunicação constante com o idoso. “Algumas pessoas da terceira idade não são carentes de alimentos, mas precisam de um amigo, de alguém para conversar. Estamos com nossa equipe de plantão por todo o país para dar atenção às pessoas”, explica.

Além de toda a assistência prestada, o programa social ensina aos idosos formas de combate e prevenção da Covid-19.

Todos os voluntários do Calebe, quando visitam os amparados pelo programa social, observam as recomendações do Ministério da Saúde para evitar a propagação do coronavírus.

Atendimento
O projeto disponibiliza um número nacional – Whatsapp, (11) 99571-9920 – para ajudar os idosos que estão aflitos, precisando de uma orientação.