Voce e o Doutor Você e o Doutor: Os desafios do combate ao cigarro no Brasil

Você e o Doutor: Os desafios do combate ao cigarro no Brasil

Neste episódio, o médico Antonio Sproesser entrevista a psicóloga Vera Borges, do Inca; fumo mata 160 mil pessoas por ano no país

Em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao fumo, em 29 de agosto, o médico Antonio Sproesser entrevista, neste episódio, a psicóloga Vera Borges, da Divisão de Controle de Tabagismo do Inca (Instituto Nacional de Câncer), no Rio de Janeiro, órgão que é referência internacional no assunto.

Recentemente, o Inca divulgou o relatório "O tratamento do tabagismo no SUS durante a pandemia de 2019". O médico ressalta que o tabagismo mata 160 mil pessoas por ano no Brasil. Segundo ele, 35 mil casos de morte por infarto por ano são causados pelo cigarro, além de 25 mil casos de câncer de pulmão e 11 mil casos de AVC (acidente vascular cerebral). "São mortes que poderiam ser evitadas, por isso que estamos conversando neste episódio sobre prevenção", afirma.

O objetivo do órgão é reduzir as mortes causadas pelo tabaco, de acordo com a psicóloga. "Na pandemia, temos uma preocupação a mais, porque o fumante pode evoluir para a forma mais grave da doença e corre risco de óbito", explica Vera.

Segundo ela, as medidas de prevenção estão diretamente relacionadas à informação à população. Ela ainda explica quais são as consequências ao fumante passivo e detalha como funciona o tratameto no SUS, composto por equipe multidisciplinar e profissionais especializados.

"O tabagismo é uma doença. Hoje a ciência já mostrou que é uma dependência química causada pela ação da nicotina", afirma. "A medicação entra quando é necessária para diminuir sintomas de abstinência", completa. 

"No Brasil, temos programa estruturado para ajudar a largar o cigarro. Nós estamos cuidando, mas você precisa procurar ajuda", finaliza. 

Ouça o podcast:

Últimas