Coronavírus

Saúde Volta às aulas não é motivo de temor, diz Soc. de Pediatria de SP

Volta às aulas não é motivo de temor, diz Soc. de Pediatria de SP

Entidade ressalta que crianças e adolescentes não são grandes espalhadores do vírus e costumam ter quadros leves de covid-19

  • Saúde | Do R7

Sociedade de Pediatria de SP diz que momento é seguro para volta às aulas

Sociedade de Pediatria de SP diz que momento é seguro para volta às aulas

LEANDRO FERREIRA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Com o retorno às aulas presenciais autorizado em todo o estado de São Paulo a partir desta segunda-feira (2), a SPSP (Sociedade de Pediatria de São Paulo) divulgou uma nota afirmando que não há motivos para preocupação.

Um dos argumentos defendido pela entidade é o fato de crianças e adolescentes não serem grupo de risco para covid-19, exceto aqueles que possuem comorbidades.

"As pesquisas realizadas no Brasil e no exterior têm demonstrado que crianças não são grandes espalhadoras do vírus, que costumam ter quadros leves a moderados e quase metade delas são assintomáticas", diz um trecho do comunicado.

A SPSP avalia ainda "o enorme prejuízo que a suspensão das aulas presenciais já apresentou". Muitos estudantes de baixa renda ficaram com a alimentação prejudicada, enquanto outros passaram a comer mais por ficar trancados em casa.

Os especialistas apontam outros problemas como falta de relacionamento interpessoal, dificuldades de concentração com a utilização de meios digitais, ansiedade, entre outros.

A vacinação dos profissionais de educação é um ponto fundamental para garantir a segurança da volta às aulas. O estado de São Paulo tem registrado quedas consecutivas de internações por covid-19.

"Assim, cremos que o momento é adequado para a retomada de aulas presenciais. Os pais devem trabalhar com os filhos sobre as medidas de proteção e devem estar em contato com a escola. Qualquer sintoma respiratório a uma criança deve ser afastada e procurar o serviço médico para diagnóstico", orienta o comunicado, assinado pelo presidente do Departamento de Saúde Escolar da SPSP, Fausto Flor de Carvalho.

Últimas