Novo Coronavírus

Saúde Voto de relatora da Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac

Voto de relatora da Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac

Uso emergencial é experimental e temporário, até que haja o registro definitivo no país. Outros quatro votos serão anunciados

  • Saúde | Do R7

Meiruze Freitas, diretora da Anvisa e relatora da análise do uso emergencial das vacinas CoronaVac e de Oxford

Meiruze Freitas, diretora da Anvisa e relatora da análise do uso emergencial das vacinas CoronaVac e de Oxford

Reprodução

O primeiro voto da diretoria colegiada da Anvisa, da relatora Meiruze Freitas, aprovou neste domingo (17) o uso emergencial da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac. Outros quatro votos serão declarados ainda nesta tarde.

O uso emergencial é considerado um experimental e temporário, até que a vacina receba o registro definitivo no país. 

Freitas afirmou que a Anvisa revisou seu marco regulatório e flexibilizou requisitos técnicos de maneira alinhada às recomendações internacionaise afirmou que, na avaliação do uso emergencia, os benefícios devem superar seus potenciais riscos. "No contexto da pandemia e dos eventuais benefícios desta vacinação, entendo que a Anvisa deve prosseguir como processo", afirmou.

Freitas ressaltou que é necessário o monitoramento contínuo da vacina após aprovação do uso emergencial. ELa destacou também que ainda é necessário saber por quanto tempo os efetiso da vacina perduram nos indivíduos e que um termo de compromisso prevê a apresentação destes dados até o final de fevereiro. 

Esta é a primeira vez que uma reunião pública da Diretoria Colegiada da Anvisa acontece num domingo.

Últimas