Tecnologia e Ciência Alemanha investiga Google por práticas contra livre-concorrência

Alemanha investiga Google por práticas contra livre-concorrência

Autoridades querem determinar se 'grande número de serviços' da empresa acaba limitando o espaço dos concorrentes

AFP
Alemanha investiga Google por práticas contra livre-concorrência

Alemanha investiga Google por práticas contra livre-concorrência

Clay McLachlan/Reuters

O gigante norte-americano Google é alvo de uma investigação na Alemanha por práticas contrárias à livre-concorrência, em aplicação de uma lei recente que reforça o poder do Estado contra os gigantes do setor digital - anunciaram as autoridades locais nesta terça-feira (25).

O escritório federal anticartéis abriu uma investigação contra duas entidades europeias do Google e contra sua matriz Alphabet, nos Estados Unidos, "conforme a nova regulamentação para empresas do setor digital", anunciou o presidente do órgão, Andreas Mundt, em um comunicado.

Medidas similares já foram lançadas este ano contra Amazon e Facebook. 

As autoridades querem determinar se o "grande número de serviços" desenvolvidos pelo Google lhe dão uma "importância crucial para a concorrência nos mercados", explicou Mundt, em uma nota.

O Google opera o mecanismo de busca homônimo, a plataforma do YouTube, o serviço de geolocalização Maps, o sistema operacional Android e o navegador Chrome.

Seus concorrentes têm dificuldade em competir com este "ecossistema", uma situação à qual o órgão alemão agora pode aplicar sanções, desde que comprovada a existência de abuso de posição dominante.

Em virtude dessa lei, o escritório iniciou outro procedimento, nesta terça-feira, com o objetivo de examinar "de muito perto as condições de tratamento de dados" dos usuários, que são o centro do negócio do Google e de outros gigantes tecnológicos. 

O objetivo é determinar se os consumidores "têm opções suficientes sobre o uso de seus dados por parte do Google", quando usam seus serviços, acrescentou Mundt.

Últimas